Creio que não existe nada de mais belo, de mais profundo, de mais simpático, de mais viril e de mais perfeito do que o Cristo; e eu digo a mim mesmo, com um amor cioso, que não existe e não pode existir. Mais do que isto: se alguém me provar que o Cristo está fora da verdade e que esta não se acha n'Ele, prefiro ficar com o Cristo a ficar com a verdade. (Dostoievski)

FAÇA COMO EU: VISITE O BLOG DELES, E SIGA-OS TAMBÉM! :)

1 de dez de 2007

Paul Freston [1]

Data da publicação: 29 de junho de 2007.
FONTE: Site da Editora/Revista Ultimato.


De homens novos e países sérios*

Transforme o homem e ele transformará a sociedade?


Quando pensamos na possibilidade de melhorar o mundo, tudo depende de nossa visão do homem. Comecemos pelo homem sem Cristo: de que ele é capaz? Aqui, duas doutrinas bíblicas precisam ser mantidas em equilíbrio: a depravação total e a graça comum. A primeira não significa que todas as pessoas não-convertidas agem sempre de uma forma depravada, mas que o pecado afeta todas as áreas da vida humana. Refere-se à extensão do pecado, e não à sua profundidade. A graça comum, por sua vez, não é a graça salvadora que atinge aqueles que estão “em Cristo”, mas a graça de Deus à humanidade em geral, pela qual o homem continua sendo capaz de buscar a beleza, a verdade e o bem. Pensemos na relação entre a depravação total e a graça comum, distinguindo-a de duas concepções falsas. Imaginemos a vida do homem sem Cristo em todas as suas dimensões como um copo cheio de água. A primeira idéia falsa é: o homem está em estado de completa depravação moral, e dele não se pode esperar nada de bom, a não ser que se converta a Cristo. E a segunda idéia falsa é: o homem foi afetado pelo pecado em apenas algumas áreas de sua vida; outras permaneceram intocadas. Esta é a visão do homem subjacente a todas as utopias, baseadas ou na educação do indivíduo ou na transformação das estruturas.


Finalmente, chegamos à visão bíblica, correta. Todas as áreas da vida do homem saem do copo afetadas tanto pela depravação total como pela graça comum; as proporções de cada elemento variam de acordo com a natureza da ação.


Nenhuma realização humana está isenta dos efeitos do pecado; mesmo as ações mais altruístas têm um lado sombrio. Mas a graça comum de Deus também está presente em todos os espaços da vida, fundamentando um otimismo bíblico realista. Isso, sem levar em conta os efeitos da conversão a Cristo.


TRANSFORME O HOMEM E ELE TRANSFORMARÁ A SOCIEDADE?


A relação entre mudança estrutural e mudança individual sempre foi muito discutida. A sociedade se transforma pela transformação dos indivíduos ou pela transformação das estruturas? Na realidade, trata-se de uma pista falsa. O ser humano não existe fora das estruturas sociais (as experiências medievais em que as crianças foram mantidas totalmente sem contato humano levaram à morte precoce das “cobaias”), e as estruturas não existem sem os indivíduos que delas fazem parte. A relação entre comportamento individual e estruturas funciona nos dois sentidos. Até o marxismo, tido como exemplo clássico de proposta social que põe toda a ênfase na mudança estrutural, fala de um “homem novo” que surgirá no socialismo. A existência desse “homem novo” (não um ou dois, mas como fenômeno de massas) é precondição para a construção do comunismo, ou seja, a sociedade sem classes. Em outras palavras, para a última mudança estrutural da história, é necessária uma mudança no homem. Como produzir esse “homem novo” foi a preocupação central de todas as experiências marxistas já realizadas. Em alguns momentos os cristãos, percebendo isso, chegaram a sugerir que talvez o cristianismo tivesse uma receita interessante.


Mas, nesse caso, já estamos falando de homens novos cristãos e não de convertidos ou nascidos de novo. A conversão não leva automaticamente às atitudes e ações corretas em favor das transformações sociais. A conversão é apenas o início de uma transformação progressiva rumo à renovação da imagem de Deus em nós.

***
• Texto de Paul Freston, inglês naturalizado brasileiro, doutor em sociologia e professor do programa de pós-graduação em ciências sociais na Universidade Federal de São Carlos e professor catedrático de sociologia no Calvin College, EUA. *Fragmento do capítulo 17, “De homens novos e países sérios”, do livro Religião e Política, Sim; Igreja e Estado, Não, publicado pela Editora Ultimato.

NOTA: Paul Freston é "o cara".

7 comentários:

Ailton disse...

Boa Tarde Maya!Estava visitando alguns blogs cristãos pela internet quando me deparei com esse artigo e fique preocupado. O socialismo faz parte da globalização. De forma grativa ele vai exigir cada vez mais da sociedade. Digo isso por que, segundo a graça de Deus que está em mim, estudo escatologia e sei onde tudo isso vai terminar. Ah! deixe-me apresentar: Eu me chamo Ailton.

Ailton disse...

Boa tarde Maya: Cheguei ao seu blog visitando outros blogs cristãos. Esse seu artigo me preocupa! O socialismo vai exigir cada vez mais da sociedade. Digo isso por que,segundo a grade de Deus que foi dada, estudo escatologia. E sei onde isso tudo vai terminar. Ah! Deixe me apresentar: Eu me chamo Ailton.

Maya disse...

O socialismo, parte da globalização? A única coisa que eu vejo globalizada é a miséria... O mundo é capitalista, entenda isso. Quem me dera fosse socialista, mesmo!

Abraço, Ailton, seja bem-vindo.

Maya disse...

Veja, Ailton, um artigo brilhante desses seria motivo de orgulho para mim, mas ele é do prof. Paul Freston.

: )

Ailton disse...

Oi Maya:

Globalização é a fusão dos dois sistemas de governo. Ficaria mais ou menos assim: teste= capitalismo x Antítese =socialismo e a síntese cooperação entre os dois sistemas que terá como intermediário um agente facilitador.
Quanto a pobreza gerada pela transição para o sistema será imposto uma economia global supostamente solidária. Me perdoe, mas acho que o Porf. Paul Freston não tem a idéia do que é a ONU de verdade. Quando eu descobri fiquei tão chocado que demorei quatro meses para me recuperar e isso com muita meditação na Bíblia. É por isso que esse artigo me assustou.
Olha só...Eu falando de política e em sei se vc gosta desse assunto, me desculpe hein. Mas por favor tomo cuidado com o socialismo e capitalismo fica só na palavra de Deus que tudo vai terminar bem. Eu até indicaria o meu blog pra vc, mas acho que os artigos são bem pesados, como não te conheço direito não sei se vc está prepara, mas o tempo dirá.


Fica na paz de DEUS.

Um abração pra vc e até a próxima!

Ailton disse...

Oi Maya. Por favor desconsidere o comentário anterior:

Globalização é a fusão dos dois sistemas de governo. Ficaria mais ou menos assim: teste= capitalismo x Antítese =socialismo e a síntese cooperação entre os dois sistemas, que terá como intermediário um agente facilitador.
Quanto a pobreza gerada pela transição será criada uma economia global supostamente solidária.
Me perdoe, mas acho que o Prof. Paul Freston não tem idéia do que é a ONU de verdade. Quando eu descobri fiquei tão chocado que demorei quatro meses para me recuperar e isso com muita meditação na Bíblia. É por isso que esse artigo me assustou.
Olha só...Eu falando de política e em sei se vc gosta desse assunto, me desculpe hein. Mas por favor tome cuidado com o socialismo e capitalismo o homem que criou esses dois sistemas é muito mais perigoso do que vc possa imaginar.


Fica na paz de DEUS.

Um abração pra vc e até a próxima!

Maya disse...

Caro Ailton,

Creio que poderíamos discutir mais a fundo suas proposição dialética envolvendo o capitalismo, o socialismo e sobretudo a síntese, esse sistema de "cooperação" entre ambos, que terá um "agente facilitador" (?)

O Paul Freston não cita a ONU em seu texto, não entendi a referência.

Agradeço pelas recomendações de cuidado, o que eu temo mesmo é que, como Igreja, não consigamos ver o que está tão diante dos nossos olhos!

Abraços, volte sempre,

Maya

: )

Marcadores

Comportamento (719) Mídia (678) Web (660) Imagem (642) Brasil (610) Política (501) Reflexão (465) Fotografia (414) Definições (366) Ninguém Merece (362) Polêmica (346) Humor (343) link (324) Literatura (289) Cristianismo (283) Maya (283) Sublime (281) Internacional (276) Blog (253) Religião (214) Estupidez (213) Português (213) Sociedade (197) Arte (196) La vérité est ailleurs (191) Mundo Gospel (181) Pseudodemocracia (177) Língua (176) Imbecilidade (175) Artigo (172) Cotidiano (165) Educação (159) Universidade (157) Opinião (154) Poesia (146) Vídeo (144) Crime (136) Maranhão (124) Livro (123) Vida (121) Ideologia (117) Serviço (117) Ex-piritual (114) Cultura (108) Confessionário (104) Capitalismo (103) (in)Utilidade pública (101) Frases (100) Música (96) História (93) Crianças (88) Amor (84) Lingüística (82) Nojento (82) Justiça (80) Mulher (77) Blábláblá (73) Contentamento (73) Ciência (72) Memória (71) Francês (68) Terça parte (68) Izquerda (66) Eventos (63) Inglês (61) Reportagem (55) Prosa (54) Calendário (51) Geléia Geral (51) Idéias (51) Letras (51) Palavra (50) Leitura (49) Lugares (46) Orkut (46) BsB (44) Pessoas (43) Filosofia (42) Amizade (37) Aula (37) Homens (36) Ecologia (35) Espanhol (35) Cinema (33) Quarta internacional (32) Mudernidade (31) Gospel (30) Semiótica e Semiologia (30) Uema (30) Censura (29) Dies Dominicus (27) Miséria (27) Metalinguagem (26) TV (26) Quadrinhos (25) Sexo (25) Silêncio (24) Tradução (24) Cesta Santa (23) Gente (22) Saúde (22) Viagens (22) Nossa Linda Juventude (21) Saudade (21) Psicologia (18) Superação (18) Palestra (17) Crônica (16) Gracinha (15) Bizarro (14) Casamento (14) Psicanálise (13) Santa Casa de Misericórdia Franciscana (13) Carta (12) Italiano (12) Micos (12) Socialismo (11) Comunismo (10) Maternidade (10) Lêndias da Internet (9) Mimesis (9) Receita (9) Q.I. (8) Retrô (8) Teatro (7) Dããã... (6) Flamengo (6) Internacional Memória (6) Alemão (5) Latim (5) Líbano (5) Tecnologia (5) Caninos (4) Chocolate (4) Eqüinos (3) Reaça (3) Solidão (3) TPM (2) Pregui (1)

Arquivo