Creio que não existe nada de mais belo, de mais profundo, de mais simpático, de mais viril e de mais perfeito do que o Cristo; e eu digo a mim mesmo, com um amor cioso, que não existe e não pode existir. Mais do que isto: se alguém me provar que o Cristo está fora da verdade e que esta não se acha n'Ele, prefiro ficar com o Cristo a ficar com a verdade. (Dostoievski)

FAÇA COMO EU: VISITE O BLOG DELES, E SIGA-OS TAMBÉM! :)

5 de ago de 2007

Ser mulher, texto publicado no jornal O Imparcial (Associados)

“Não se nasce mulher, torna-se mulher."
Simone de Beauvoir, filósofa e feminista francesa

Os livros registram a ação de homens ilustres ou canalhas; uns construíram mais, outros destruíram. Mas poucas mulheres surgem como personagens centrais de grandes conquistas. A sociedade sempre foi dos homens, e foram eles que conduziram e moldaram a história humana. Os homens têm mais massa muscular que as mulheres, e a essa supremacia física devem a origem e a manutenção de sua hegemonia. O mundo que conhecemos é visto sob uma ótica masculinizada: dominação, força, conquista. A fragilidade não é admitida, e deve ser sempre dominada. Os interesses dos mais fortes subjugam os interesse dos mais fracos, ainda que estes sejam maioria.

Logo que a sociedade-força física passou a perder espaço para a sociedade-inteligência, a condição feminina foi colocada em discussão, e assistimos hoje a uma redefinição de papéis: as mulheres passam a ocupar postos antes inacessíveis. Os homens já não subjugam tanto as mulheres como antes. Temos aqui mesmo no Maranhão uma governadora, e não um governador. Também uma mulher foi eleita para administrar a maior cidade da América Latina, São Paulo. Mulheres que divergem ideologicamente, mas que têm em comum o gênero.

Mas o ponto crucial dessas mudanças é entender de que modo a sensibilidade e a inteligência aguda da mulher poderiam colaborar para melhorar a gestão de negócios importantes, sejam eles públicos ou privados. Como fazer com que o gênero oprimido, usando sua sensibilidade, coragem e firmeza, grave sua própria visão de mundo no poder, afim de beneficiar os que são também oprimidos. Porque uma mulher pode estar no poder garantindo que a sociedade continue o que ela sempre foi. É preciso mudar. Talvez esse seja o grande desafio das mulheres. É necessário feminilizar o poder, torna-lo mais sensível, mais democrático, mais atento aos que não têm nem vez nem voz.

É fato, e justiça seja feita, assim como há homens e homens, existem mulheres e mulheres. Erro seria não estar atento à diferença, cara leitora, caro leitor. Resta saber se a mulher que pleiteia o poder, ou a que já está nele, serve a uma visão masculinizada ou a uma perspectiva feminilizada do poder. O poder que oprime, bate, agride e subjuga sempre esteve aí, cheio de testosterona. Há mulheres que o corroboram. Agora queremos um poder novo, atento aos que não podem, aos que não têm, aos que são preteridos em virtude do mais forte, do mais rico, do que tem a força. Essa visão de poder é feminina. Há mulheres que a apóiam. Cabe à sociedade saber quem são.

Mayalu Felix, escritora.
Artigo publicado originalmente no jornal O Imparcial (Associados, MA), em 08/03/2001, Opinião, p. 12.

Nenhum comentário:

Marcadores

Comportamento (719) Mídia (678) Web (660) Imagem (642) Brasil (610) Política (501) Reflexão (465) Fotografia (414) Definições (366) Ninguém Merece (362) Polêmica (346) Humor (343) link (324) Literatura (289) Cristianismo (283) Maya (283) Sublime (281) Internacional (276) Blog (253) Religião (214) Estupidez (213) Português (213) Sociedade (197) Arte (196) La vérité est ailleurs (191) Mundo Gospel (181) Pseudodemocracia (177) Língua (176) Imbecilidade (175) Artigo (172) Cotidiano (165) Educação (159) Universidade (157) Opinião (154) Poesia (146) Vídeo (144) Crime (136) Maranhão (124) Livro (123) Vida (121) Ideologia (117) Serviço (117) Ex-piritual (114) Cultura (108) Confessionário (104) Capitalismo (103) (in)Utilidade pública (101) Frases (100) Música (96) História (93) Crianças (88) Amor (84) Lingüística (82) Nojento (82) Justiça (80) Mulher (77) Blábláblá (73) Contentamento (73) Ciência (72) Memória (71) Francês (68) Terça parte (68) Izquerda (66) Eventos (63) Inglês (61) Reportagem (55) Prosa (54) Calendário (51) Geléia Geral (51) Idéias (51) Letras (51) Palavra (50) Leitura (49) Lugares (46) Orkut (46) BsB (44) Pessoas (43) Filosofia (42) Amizade (37) Aula (37) Homens (36) Ecologia (35) Espanhol (35) Cinema (33) Quarta internacional (32) Mudernidade (31) Gospel (30) Semiótica e Semiologia (30) Uema (30) Censura (29) Dies Dominicus (27) Miséria (27) Metalinguagem (26) TV (26) Quadrinhos (25) Sexo (25) Silêncio (24) Tradução (24) Cesta Santa (23) Gente (22) Saúde (22) Viagens (22) Nossa Linda Juventude (21) Saudade (21) Psicologia (18) Superação (18) Palestra (17) Crônica (16) Gracinha (15) Bizarro (14) Casamento (14) Psicanálise (13) Santa Casa de Misericórdia Franciscana (13) Carta (12) Italiano (12) Micos (12) Socialismo (11) Comunismo (10) Maternidade (10) Lêndias da Internet (9) Mimesis (9) Receita (9) Q.I. (8) Retrô (8) Teatro (7) Dããã... (6) Flamengo (6) Internacional Memória (6) Alemão (5) Latim (5) Líbano (5) Tecnologia (5) Caninos (4) Chocolate (4) Eqüinos (3) Reaça (3) Solidão (3) TPM (2) Pregui (1)

Arquivo