Creio que não existe nada de mais belo, de mais profundo, de mais simpático, de mais viril e de mais perfeito do que o Cristo; e eu digo a mim mesmo, com um amor cioso, que não existe e não pode existir. Mais do que isto: se alguém me provar que o Cristo está fora da verdade e que esta não se acha n'Ele, prefiro ficar com o Cristo a ficar com a verdade. (Dostoievski)

FAÇA COMO EU: VISITE O BLOG DELES, E SIGA-OS TAMBÉM! :)

22 de ago de 2007

Noam Chomsky [2]


Nafta e Gatt: de quem é o lucro?

A última empresa de máquinas de escrever dos EUA, a Smith Corona, está se mudando para o México. Há um corredor de maquiladoras [fábricas onde partes faitas em outros lugares são montadas a baixo custo] na fronteira. As pessoas trabalham por cinco dólares/dia, e há níveis incríveis de poluição, lixo tóxico, chumbo na água, etc.

Uma das principais questões enfrentadas pelo país atualmente é o Acordo Norte-Americano de Livre Comércio (North American Free Trade Agreement -- Nafta). Ninguém duvida que o Nafta terá grandes efeitos sobre norte-americanos e mexicanos. Você pode discutir quais seriam esses efeitos, mas ninguém duvida de que serão significativos.

O efeito será provavelmente uma aceleração no que você acaba de descrever -- o fluxo de mão-de-obra produtiva para o México. Lá existe uma ditadura brutal e repressiva; fica garantido, portanto, que os salários serão baixos.

Durante o chamado "milagre econômico do México" da última década, os salários caíram 60%. Líderes sindicais ainda são assassinados. Se a Ford Motor Company quer jogar fora seu operariado e contratar mão-de-obra superbarata, eles simplesmente o fazem. Ninguém os impede. A poluição continua sem controle. É um grande lugar para os investidores.

Poderíamos pensar que o Nafta, que inclui o envio de mão-de-obra produtiva até o México, possa melhorar seus salários reais -- e, quem sabe, até nivelar os dois países. Mas isso é altamente improvável, por dois motivos: a repressão impede que os trabalhadores se organizem em defesa de salários mais altos, e o Nafta irá inundar o México com produtos agrícolas industrializados dos Estados Unidos.

Esses produtos são produzidos com a ajuda de grandes subsídios públicos, e irão prejudicar a agricultura mexicana. O México estará inundado pelas colheitas americanas, o que irá contribuir para forçar um número estimado de 13 milhões de pessoas a se retiraem para regiões urbanas ou para áreas "maquiladoras" -- o que, mais uma vez, forçará os salários para baixo.

É possível que o Nafta seja prejudicial também para o operariado norte-americano. Poderemos perder centenas de milhares de empregos, ou abaixar seus níveis salariais. Trabalhadores latinos ou negros serão os mais atingidos.

Mas será, quase com certeza, uma grande e lucrativa operação para os investidores nos Estados Unidos e seus parceiros nos setores ricos do México. São eles -- aliados às classes profissionais que trabalham para eles -- os que aplaudem o acordo.

O Nafta e o Gatt irão, basicamente, formalizar e institucionalizar as relações entre o Norte [nações prósperas, industrializadas, principalmente do Norte] e o Sul [nações mais pobres, menos industrializadas, principalmente do Sul]?

Esta é a intenção. O Nafta irá também, com quase toda a certeza, degradar os padrões ambientais. As corporações poderão argumentar, por exemplo, que os padrões da Agência de Proteção Ambiental [Environmental Protection Agency -- EPA] violam os acordos de livre comércio. Isso já está acontecendo no lado americano-canadense do acordo. O efeito geral será forçar a vida até seu nível mais baixo, mantendo, ao mesmo, tempo, os lucros altos.

É interessante ver como as pessoas têm lidado com o assunto. Elas não têm a menor idéia do que está acontecendo. Nem podem saber, o Nafta é um segredo -- é um acordo executivo que não está à disposição do público.

Em 1974, o Decreto Comercial (Trade Act) foi aprovado pelo Congresso. Uma de suas medidas foi fazer com que o Comitê Consultivo do Partido Trabalhista (Labor Advisory Committee) -- com base sindical -- tivesse de apresentar informação e análise sobre qualquer assunto relacionado a comércio. É óbvio que aquele comitê teria de fazer um relatório oficial sobre o Nafta, um acordo executivo assinado pelo presidente.

O comitê foi notificado, na metade de agosto de 1992, de que o relatório deveria ser apresentado em 9 de setembro de 1992. No entanto, só receberam um texto sobre o acordo cerca de 24 horas antes da entrega do relatório. Não puderam nem mesmo se reunir; e nem, obviamente, escrever um relatório sério em tempo.

Agora, eles são líderes trabalhistas conservadores, não o tipo de pessoas que costumam criticar muito o governo. Mas escreveram um relatóroio mordaz, dizendo: "Até onde pudemos analisar, nas poucas horas que nos foram dadas, parece que vai ser um desastre para as pessoas que trabalham, para o meio ambiente, para os mexicanos -- e uma grande bênção para os investidores".

O comitê salientou que, embora os defensores do tratado tivessem dito que ele não iria ferir um grande número de trabalhadores norte-americanos -- talvez apenas os trabalhadores não-qualificados -- sua definição de "trabalhador não-qualificado" poderia incluir 70% da mão-de-obra. O comitê salientou também que os direitos de propriedade foram amplamente protegidos, mas que quase não foram mencionados os direitos do trabalhador. O comitê então condenou amargamente o absoluto desrespeito pela democracia demonstrado pelo atraso no fornecimento do texto completo.

Com o Gatt é a mesma coisa -- ninguém, a não ser um especialista, sabe o que está acontecendo. E o Gatt tem alcance ainda maior. Uma das coisas muito reiteradas nesas negociações é o que chamam de "direitos de propriedade intelectual". Isso significa proteção para patentes -- e também para coisas como software, discos, etc. A idéia é garantir que a tecnologia do futuro permaneça nas mãos de corporações multinacionais, para quem o governo mundial trabalha.

As pessoas querem ter certeza, por exemplo, de que a Índia não poderá produzir medicamentos para sua população a um custo 10% menor que os medicamentos produzidos pela Merck Pharmaceutical, que é apoiada e subsidiada pelo governo. A Merck conta muito com a pesquisa dos laboratórios de biologia das universidades (sustentados por fundos públicos) e com vários outros tipos de intervenção governamental.

Trechos de entrevista concedida por Noam Chomsky a David Barsamian e publicada pela Editora da Universidade de Brasília sob a forma de livro, intitulado A minoria próspera e a multidão inquieta. Brasília: EdUnB, 1999, pp. 33-37.

Nenhum comentário:

Marcadores

Comportamento (719) Mídia (678) Web (660) Imagem (642) Brasil (610) Política (501) Reflexão (465) Fotografia (414) Definições (366) Ninguém Merece (362) Polêmica (346) Humor (343) link (324) Literatura (289) Cristianismo (283) Maya (283) Sublime (281) Internacional (276) Blog (253) Religião (214) Estupidez (213) Português (213) Sociedade (197) Arte (196) La vérité est ailleurs (191) Mundo Gospel (181) Pseudodemocracia (177) Língua (176) Imbecilidade (175) Artigo (172) Cotidiano (165) Educação (159) Universidade (157) Opinião (154) Poesia (146) Vídeo (144) Crime (136) Maranhão (124) Livro (123) Vida (121) Ideologia (117) Serviço (117) Ex-piritual (114) Cultura (108) Confessionário (104) Capitalismo (103) (in)Utilidade pública (101) Frases (100) Música (96) História (93) Crianças (88) Amor (84) Lingüística (82) Nojento (82) Justiça (80) Mulher (77) Blábláblá (73) Contentamento (73) Ciência (72) Memória (71) Francês (68) Terça parte (68) Izquerda (66) Eventos (63) Inglês (61) Reportagem (55) Prosa (54) Calendário (51) Geléia Geral (51) Idéias (51) Letras (51) Palavra (50) Leitura (49) Lugares (46) Orkut (46) BsB (44) Pessoas (43) Filosofia (42) Amizade (37) Aula (37) Homens (36) Ecologia (35) Espanhol (35) Cinema (33) Quarta internacional (32) Mudernidade (31) Gospel (30) Semiótica e Semiologia (30) Uema (30) Censura (29) Dies Dominicus (27) Miséria (27) Metalinguagem (26) TV (26) Quadrinhos (25) Sexo (25) Silêncio (24) Tradução (24) Cesta Santa (23) Gente (22) Saúde (22) Viagens (22) Nossa Linda Juventude (21) Saudade (21) Psicologia (18) Superação (18) Palestra (17) Crônica (16) Gracinha (15) Bizarro (14) Casamento (14) Psicanálise (13) Santa Casa de Misericórdia Franciscana (13) Carta (12) Italiano (12) Micos (12) Socialismo (11) Comunismo (10) Maternidade (10) Lêndias da Internet (9) Mimesis (9) Receita (9) Q.I. (8) Retrô (8) Teatro (7) Dããã... (6) Flamengo (6) Internacional Memória (6) Alemão (5) Latim (5) Líbano (5) Tecnologia (5) Caninos (4) Chocolate (4) Eqüinos (3) Reaça (3) Solidão (3) TPM (2) Pregui (1)

Arquivo