Creio que não existe nada de mais belo, de mais profundo, de mais simpático, de mais viril e de mais perfeito do que o Cristo; e eu digo a mim mesmo, com um amor cioso, que não existe e não pode existir. Mais do que isto: se alguém me provar que o Cristo está fora da verdade e que esta não se acha n'Ele, prefiro ficar com o Cristo a ficar com a verdade. (Dostoievski)

FAÇA COMO EU: VISITE O BLOG DELES, E SIGA-OS TAMBÉM! :)

21 de mai de 2008

ele que é desmatar! "o rei da soja" é o governador do Mato Grosso!

Foi manchete do jornal O Globo de hoje (imaginem, se foi manchete d'O Globo é porque a situação é dramática!) a recusa do governador do Mato Grosso em ceder homens da Polícia Militar, que é estadual, compor a Guarda Ambiental, proposta do novo . Fiquei surpresa, sim, mas foi com a demonstração clara e pouco disfarçada do maior produtor de soja do mundo a respeito da preservação ambiental.
.
É óbvio, a raposa não pensa em preservar o galinheiro, por isso Blairo Maggi quer mesmo é que a Amazônia se transforme em um graaaande campo de soja, a fim de que o Brasil exporte cada vez mais o grão e de que suas contas bancárias se tornem maiores. Afinal, para que preservar árvores? E rios? E esses animais irracionais que povoam a floresta? Índios? Nem pensar!
.
Blairo Maggi, no final das contas, nada mais faz que ser fiel a si mesmo, a seus interesses econômicos, políticos, ideológicos. Como ele, as siderúrgicas, construtoras, os pecuaristas e os colegas plantadores de soja do grande Brasil. E, fiel a essa política predatória, está o presidente do PT, que acha que o PAC é a salvação da lavoura. Pode até ser a salvação da lavoura, mas é a perdição da Floresta Amazônica, do Pantanal, do Cerrado, da Mata Atlântica...
.
***
.
Blairo Maggi se diz a favor da Guarda Ambiental, mas não cede polícia de MT
Publicada em 20/05/2008 às 23h40m
Anselmo Carvalho Pinto - Especial para O GloboReuters
.
CUIABÁ - O governador de Mato Grosso, Blairo Maggi (PR), voltou a dar demonstrações nesta terça de que sua relação com o novo ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, não será das melhores. Considerado "o rei da soja no Brasil", Maggi disse que, se a Guarda Nacional Ambiental for mesmo criada para proteger a Floresta Amazônica, como sugeriu o novo ministro, não deverá contar com a ajuda da polícia de Mato Grosso. Pela proposta de Minc, a Guarda Nacional seria formada por policiais militares recrutados em diversos estados, como a Força Nacional de Segurança Pública. (Leia mais: Minc confirma Roberto Franco como novo presidente do Ibama)


- Acho até que pode criar (a Guarda Nacional). Mas não conte com a nossa polícia. Já temos pouco efetivo para cuidar do povo. Não tenho soldados para proteger a floresta. Tragam gente do Sul, de Curitiba, de Porto Alegre - disse o governador, após reunião com o coordenador do Plano Amazônia Sustentável (PAS), ministro Mangabeira Unger.

" Já temos pouco efetivo para cuidar do povo. Não tenho soldados para proteger a floresta "

Mangabeira acha que colocar o Exército na defesa de reservas não resolve as questões ambientais e econômicas.


- Jamais podemos imaginar que resolveremos problemas militarizando a Amazônia - disse, sobre o trabalho do Exército.

Apesar de garantir que não vai ceder PMs de seu estado, Maggi disse que, a princípio, acha boa a idéia de uma polícia ambiental na Amazônia.

- Acho interessante uma força de polícia que pode ser deslocada para atuar em determinadas áreas. É bom para o governo federal. Mas, para os estados que precisam ceder policiais, nem tanto.

Não é a primeira vez em que Maggi e Minc trocam farpas. Antes mesmo de assumir o Ministério, Minc chegou a dizer que, se deixassem, o governador "plantaria soja até nos Andes". Em nota, Maggi disse considerar as declarações "descabidas, inoportunas, extemporâneas e impróprias para um ministro de Estado". O governador faz pressão para que o governo reveja a resolução que proíbe os produtores de tomarem financiamentos oficiais se não tiverem licença ambiental.

Maggi também criticou a declaração de Minc de que conhece pouco o Brasil. Para o governador, com a declaração Minc desautoriza "a si próprio a emitir opiniões sobre uma realidade que desconhece". Maggi também já havia tido desentendimentos públicos com a ex-ministra Marina Silva. A maior discórdia envolveu os números do desmatamento medido pelo Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (Inpe) nos quatro últimos meses do ano passado. Enquanto o instituto dizia que 1.737 km² de floresta haviam sido derrubados em Mato Grosso, Maggi insistia que os dados estavam errados. Maggi chegou a reclamar pessoalmente ao presidente Lula da divulgação precipitada de números.

Durante o encontro com Mangabeira Unger, Maggi voltou a insistir que o estado não tem como cumprir as exigências de uma resolução do Banco Central que condiciona o financiamento público ao licenciamento ambiental das propriedades rurais.
.
Mangabeira propõe rede de indústrias na Amazônia

Além de descartar a militarização da Amazônia como saída para combater o desmatamento, Mangabeira propôs a criação de uma rede de indústrias para viabilizar economicamente a região.

Indicado para coordenar o Plano Amazônia Sustentável (PAS), considerado o estopim da saída de Marina Silva do Ministério do Meio Ambiente, Mangabeira propôs cinco iniciativas para reduzir os danos à floresta e para ocupar a região de cerca de 5 milhões de quilômetros quadrados de modo ordenado.

" Estamos conscientes da necessidade de incentivos para a instalação de empresas florestais e para a agregação de valor nas indústrias agropecuárias e minerais "

Mangabeira destacou como iniciativa do PAS uma rede de indústrias em toda a Amazônia, ao lado de grandes cidades, "que transforme produtos florestais, madeireiros e não madeireiros; que fabrique tecnologia apropriada ao manejo sustentável de uma floresta tropical, e também transforme produtos minerais e agropecuários".

- Estamos conscientes da necessidade de incentivos para a instalação de empresas florestais e para a agregação de valor nas indústrias agropecuárias e minerais - disse.

As outras iniciativas são a regularização fundiária, o zoneamento ecológico e econômico da Amazônia, a construção de uma agricultura moderna e democratizada, e a formação de recursos humanos para um novo modelo do ensino médio, hoje "fraco", que combine capacitação técnica e profissionalizante.

- Sem projetos econômicos não haverá estruturas produtivas e sociais organizadas. E uma vasta região sem essas estruturas, é difícil de se defender - afirmou.

Segundo Mangabeira, o Brasil necessita reafirmar sua soberania sobre a Amazônia de forma inequívoca".

- Há sempre um risco enquanto o espaço econômico e social da Amazônia permanecer relativamente vazio - disse.

Mangabeira completou:

- Quem cuida da Amazônia é o Brasil.
.
***
.

Nenhum comentário:

Marcadores

Comportamento (719) Mídia (678) Web (660) Imagem (642) Brasil (610) Política (501) Reflexão (465) Fotografia (414) Definições (366) Ninguém Merece (362) Polêmica (346) Humor (343) link (324) Literatura (289) Cristianismo (283) Maya (283) Sublime (281) Internacional (276) Blog (253) Religião (214) Estupidez (213) Português (213) Sociedade (197) Arte (196) La vérité est ailleurs (191) Mundo Gospel (181) Pseudodemocracia (177) Língua (176) Imbecilidade (175) Artigo (172) Cotidiano (165) Educação (159) Universidade (157) Opinião (154) Poesia (146) Vídeo (144) Crime (136) Maranhão (124) Livro (123) Vida (121) Ideologia (117) Serviço (117) Ex-piritual (114) Cultura (108) Confessionário (104) Capitalismo (103) (in)Utilidade pública (101) Frases (100) Música (96) História (93) Crianças (88) Amor (84) Lingüística (82) Nojento (82) Justiça (80) Mulher (77) Blábláblá (73) Contentamento (73) Ciência (72) Memória (71) Francês (68) Terça parte (68) Izquerda (66) Eventos (63) Inglês (61) Reportagem (55) Prosa (54) Calendário (51) Geléia Geral (51) Idéias (51) Letras (51) Palavra (50) Leitura (49) Lugares (46) Orkut (46) BsB (44) Pessoas (43) Filosofia (42) Amizade (37) Aula (37) Homens (36) Ecologia (35) Espanhol (35) Cinema (33) Quarta internacional (32) Mudernidade (31) Gospel (30) Semiótica e Semiologia (30) Uema (30) Censura (29) Dies Dominicus (27) Miséria (27) Metalinguagem (26) TV (26) Quadrinhos (25) Sexo (25) Silêncio (24) Tradução (24) Cesta Santa (23) Gente (22) Saúde (22) Viagens (22) Nossa Linda Juventude (21) Saudade (21) Psicologia (18) Superação (18) Palestra (17) Crônica (16) Gracinha (15) Bizarro (14) Casamento (14) Psicanálise (13) Santa Casa de Misericórdia Franciscana (13) Carta (12) Italiano (12) Micos (12) Socialismo (11) Comunismo (10) Maternidade (10) Lêndias da Internet (9) Mimesis (9) Receita (9) Q.I. (8) Retrô (8) Teatro (7) Dããã... (6) Flamengo (6) Internacional Memória (6) Alemão (5) Latim (5) Líbano (5) Tecnologia (5) Caninos (4) Chocolate (4) Eqüinos (3) Reaça (3) Solidão (3) TPM (2) Pregui (1)

Arquivo