Creio que não existe nada de mais belo, de mais profundo, de mais simpático, de mais viril e de mais perfeito do que o Cristo; e eu digo a mim mesmo, com um amor cioso, que não existe e não pode existir. Mais do que isto: se alguém me provar que o Cristo está fora da verdade e que esta não se acha n'Ele, prefiro ficar com o Cristo a ficar com a verdade. (Dostoievski)

FAÇA COMO EU: VISITE O BLOG DELES, E SIGA-OS TAMBÉM! :)

19 de set de 2007

Sírio Possenti [1]

(abaixo, resposta ao artigo da VEJA)

Tudo misturado

Na reportagem, confunde-se reforma ortográfica com reforma da língua

As matérias sobre língua na mídia caracterizam-se freqüentemente por uma exagerada mistura de questões, o que as torna obscuras e inúteis. Às vezes, parece decisão proposital. Outras, que a confusão é fruto de brutal - e incompreensível - desconhecimento de fatos elementares. Um excelente exemplo é a matéria de VEJA 2025, de 12/09/2007.

Começa com notícias sobre a reforma ortográfica, que teria implicações profundas de ordem técnica e comercial. Logo depois, afirma que dominar a norma culta é condição mínima para o sucesso, que profissionais que "falam e escrevem certo, com lógica e riqueza vocabular", têm mais chance de chegar ao topo do que outros com a mesma qualificação, mas sem o domínio da palavra. Há observações sobre formas características de blogs e chats, sobre dicionários de várias línguas, informações sobre a reforma, uma lista de dez erros que enumera onze (repetida há anos e completamente heterogênea). Tudo misturado. Há também uma entrevista como David Crystal sobre aspectos da situação lingüística do mundo. O interessado deve ler seu livro A revolução da linguagem, e verá que ele também mistura muita coisa...

É impossível comentar a matéria em espaço menor do que o ocupado por ela. Seria necessário um trabalho bastante longo de organização dos temas, de esclarecimento de posições e de discussão dos palpites etc. Às vezes, seria necessário desmentir afirmações. Seguem-se algumas observações.

Pode ser verdade que o domínio da língua seja uma condição de sucesso, em alguns casos, mas o que têm a ver lógica e riqueza vocabular e domínio da palavra com a reforma ortográfica, ou mesmo com escrever certo? Na seqüência, a matéria fala de quedas de hífens e de acentos. Não há erros ortográficos, mas, se a tese do artigo for correta, alguma empresa contrataria o autor da matéria para fazer outra coisa que não fosse escrever sobre língua?

Não falta no texto a velha escorregada que consiste em confundir reforma ortográfica com reforma da língua. O leitor pode não acreditar, mas na página 89 pode-se ler que "a reforma do português (sic) ora em curso vai se defrontar com um desafio inédito". Mas a reforma da língua não está e nunca esteve em pauta!

Diversas autoridades e celebridades são ouvidas. As opiniões não convergem, como era de esperar. As declarações mais desastradas são as de Tony Belloto: "Creio que a unificação do português tem um sentido político positivo. Aumenta o conceito da língua como nação. Mas a língua é um organismo vivo e vai seguir em frente. No meu trabalho de compositor, a ortografia repercute pouco. Nas letras de rock, a gente trabalha com a informalidade, com a fala da rua".
Torço para que o músico tenha sido mal entendido, que o samba do crioulo doido que são essas declarações não seja dele, que seja resultado da má edição de uma entrevista. Tudo o que ele diz está errado ou é bem estranho: não há unificação do português; aumentar o conceito da língua como nação é totalmente nonsense (o que será uma língua como nação?); o que tem a ver a língua ser um organismo vivo com a questão da reforma ou da unificação? E qual seria a relação entre trabalhar com a informalidade, com a língua da rua, e a pouca repercussão da ortografia? Ortografia de língua informal é diferente?

Belloto apresenta - produz? - um programa sobre questões de língua em um canal desses educativos. Acho que vou começar a compor.

***

Sírio Possenti é professor associado do Departamento de Lingüística da Unicamp e autor de Por que (não) ensinar gramática na escola, Os humores da língua e de Os limites do discurso . Fale com Sírio Possenti: siriopossenti@terra.com.br

Nenhum comentário:

Marcadores

Comportamento (719) Mídia (678) Web (660) Imagem (642) Brasil (610) Política (501) Reflexão (465) Fotografia (414) Definições (366) Ninguém Merece (362) Polêmica (346) Humor (343) link (324) Literatura (289) Cristianismo (283) Maya (283) Sublime (281) Internacional (276) Blog (253) Religião (214) Estupidez (213) Português (213) Sociedade (197) Arte (196) La vérité est ailleurs (191) Mundo Gospel (181) Pseudodemocracia (177) Língua (176) Imbecilidade (175) Artigo (172) Cotidiano (165) Educação (159) Universidade (157) Opinião (154) Poesia (146) Vídeo (144) Crime (136) Maranhão (124) Livro (123) Vida (121) Ideologia (117) Serviço (117) Ex-piritual (114) Cultura (108) Confessionário (104) Capitalismo (103) (in)Utilidade pública (101) Frases (100) Música (96) História (93) Crianças (88) Amor (84) Lingüística (82) Nojento (82) Justiça (80) Mulher (77) Blábláblá (73) Contentamento (73) Ciência (72) Memória (71) Francês (68) Terça parte (68) Izquerda (66) Eventos (63) Inglês (61) Reportagem (55) Prosa (54) Calendário (51) Geléia Geral (51) Idéias (51) Letras (51) Palavra (50) Leitura (49) Lugares (46) Orkut (46) BsB (44) Pessoas (43) Filosofia (42) Amizade (37) Aula (37) Homens (36) Ecologia (35) Espanhol (35) Cinema (33) Quarta internacional (32) Mudernidade (31) Gospel (30) Semiótica e Semiologia (30) Uema (30) Censura (29) Dies Dominicus (27) Miséria (27) Metalinguagem (26) TV (26) Quadrinhos (25) Sexo (25) Silêncio (24) Tradução (24) Cesta Santa (23) Gente (22) Saúde (22) Viagens (22) Nossa Linda Juventude (21) Saudade (21) Psicologia (18) Superação (18) Palestra (17) Crônica (16) Gracinha (15) Bizarro (14) Casamento (14) Psicanálise (13) Santa Casa de Misericórdia Franciscana (13) Carta (12) Italiano (12) Micos (12) Socialismo (11) Comunismo (10) Maternidade (10) Lêndias da Internet (9) Mimesis (9) Receita (9) Q.I. (8) Retrô (8) Teatro (7) Dããã... (6) Flamengo (6) Internacional Memória (6) Alemão (5) Latim (5) Líbano (5) Tecnologia (5) Caninos (4) Chocolate (4) Eqüinos (3) Reaça (3) Solidão (3) TPM (2) Pregui (1)

Arquivo