Creio que não existe nada de mais belo, de mais profundo, de mais simpático, de mais viril e de mais perfeito do que o Cristo; e eu digo a mim mesmo, com um amor cioso, que não existe e não pode existir. Mais do que isto: se alguém me provar que o Cristo está fora da verdade e que esta não se acha n'Ele, prefiro ficar com o Cristo a ficar com a verdade. (Dostoievski)

FAÇA COMO EU: VISITE O BLOG DELES, E SIGA-OS TAMBÉM! :)

22 de jul de 2008

cristianismo e escravidão

.
Cristianismo e escravidão – somos culpados?
.
Infelizmente não foi exibido nas salas de cinema do país o filme Amazing Grace, que relata a história de William Wilberforce, o parlamentar britânico que lutou contra o tráfico negreiro, no fim do século 18 e início do 19. O DVD chegou há pouco às locadoras sob o título Jornada pela liberdade e merece ser visto.
.
Orador brilhante e eleito para o parlamento inglês com apenas 21 anos de idade, Wilberforce experimenta uma profunda conversão que o leva inclusive a pensar em deixar a política para se dedicar ao ministério religioso. O seu melhor amigo, William Pitt – posteriormente primeiro-ministro da Inglaterra – temeroso de perder o seu aliado mais talentoso, chega a provocá-lo: “Você pretende usar a sua bela voz para louvar o Senhor, ou para mudar o mundo?”. Mas é John Newton, um ex-traficante de escravos – brilhantemente interpretado por Albert Finney – que o convence de que ele estaria fazendo as duas coisas engajando-se na luta política contra a escravidão. O título do filme em inglês deve-se a Newton, que compôs a bela Amazing Grace – talvez a canção cristã mais famosa do mundo – após uma dramática experiência de conversão que o levou a abandonar o tráfico negreiro.
.
A história de Wilberforce é importante porque desmente o argumento dos novos ateístas, em especial Sam Harris, de que o cristianismo sempre foi conivente com a escravidão. O cristianismo tem sido acusado pelo novo ateísmo – que lança livros aos borbotões com violentos ataques à religião em geral e à fé cristã em particular – não só de antiintelectualismo, mas de ser essencialmente imoral. É um ataque sui generis, e que talvez muitos não estejam preparados para responder. E uma das imoralidades que nos atribuem é a nossa conivência histórica com a escravidão.
.
Na verdade não há honestidade quando se julga os erros do passado com os parâmetros do presente. É fácil apontar o dedo para os erros cometidos na história, analisando os fatos séculos depois, a bordo de todas as transformações culturais que nos permitem ser mais sábios que nossos antepassados.
.
Se no passado havia cegueira quanto à escravatura ela não recaía sobre a comunidade cristã, mas sim sobre toda a humanidade. Vivia-se num ambiente de escravidão e esse era o sistema aceito por todos. Numa obra recente – lançada no Brasil sob o título A verdade sobre o cristianismo –, o católico Dinesh D’Souza argumenta que a escravocracia nunca precisou de defensores, pois o regime sempre foi incontroverso. O sistema era aceito em todo o planeta. Na África, na Ásia, na América pré-colombiana e nunca foi questionado. A primeira voz a denunciar o mal saiu da igreja, num movimento liderado pelos Quakers e que encontrou eco político em Wilberforce.
.
Não é difícil imaginar a magnitude da oposição que o movimento encontrou no parlamento inglês, coalhado de escravocratas. A felicidade é que naqueles tempos havia gigantes na Inglaterra. O filme não mostra, mas a história revela que John Wesley, na última carta que escreveu antes de morrer, dirigiu-se justamente ao jovem
Wilberforce, encorajando-o a permanecer firme na sua luta. E não foi em vão, porque a concepção, essencialmente cristã, de que todos os homens foram criados por Deus – e por isso nasceram iguais – cedo ou tarde seria fatal para a escravidão.
.
A história vale a pena ser vista não só pela beleza da luta que é de encher o peito, mas principalmente porque neste tempo, em que se tornou comum atribuir à fé cristã os males da história, é bom ver no cinema um relato que faz justiça à cristandade por uma de suas obras mais notáveis.
.
***
.
Texto de João Heliofar de Jesus Villar, 45, procurador regional da República da 4ª Região (no Rio Grande do Sul), e cristão evangélico.
.

5 comentários:

Evangelista Wil disse...

Olá!
Graça e paz!
Gostei do seu blog, bem bacana!
Vou adicioná-la à minha lista!
PAX!

Maya disse...

Obrigada! :)

Pax pra vc tbem!

Maya disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Juber Donizete Gonçalves disse...

Maya,

O filme de fato é muito bonito. Wilberforce, utilizou o Parlamento para lutar por causas nobres. Bom seria se o Parlamento brasileiro tivessem alguém como ele e não 300 picaretas como disse em 1993, o então canditado à presidência Lula.

Maya disse...

Oi, Juber! De fato, a honra, a moral, a retidão e a ética já não existem. São 300 picaretas no Congresso, um na presidência do Judiciário e outro na presidência da República.

Ó tempora! Ó mores!

Marcadores

Comportamento (719) Mídia (678) Web (660) Imagem (642) Brasil (610) Política (501) Reflexão (465) Fotografia (414) Definições (366) Ninguém Merece (362) Polêmica (346) Humor (343) link (324) Literatura (289) Cristianismo (283) Maya (283) Sublime (281) Internacional (276) Blog (253) Religião (214) Estupidez (213) Português (213) Sociedade (197) Arte (196) La vérité est ailleurs (191) Mundo Gospel (181) Pseudodemocracia (177) Língua (176) Imbecilidade (175) Artigo (172) Cotidiano (165) Educação (159) Universidade (157) Opinião (154) Poesia (146) Vídeo (144) Crime (136) Maranhão (124) Livro (123) Vida (121) Ideologia (117) Serviço (117) Ex-piritual (114) Cultura (108) Confessionário (104) Capitalismo (103) (in)Utilidade pública (101) Frases (100) Música (96) História (93) Crianças (88) Amor (84) Lingüística (82) Nojento (82) Justiça (80) Mulher (77) Blábláblá (73) Contentamento (73) Ciência (72) Memória (71) Francês (68) Terça parte (68) Izquerda (66) Eventos (63) Inglês (61) Reportagem (55) Prosa (54) Calendário (51) Geléia Geral (51) Idéias (51) Letras (51) Palavra (50) Leitura (49) Lugares (46) Orkut (46) BsB (44) Pessoas (43) Filosofia (42) Amizade (37) Aula (37) Homens (36) Ecologia (35) Espanhol (35) Cinema (33) Quarta internacional (32) Mudernidade (31) Gospel (30) Semiótica e Semiologia (30) Uema (30) Censura (29) Dies Dominicus (27) Miséria (27) Metalinguagem (26) TV (26) Quadrinhos (25) Sexo (25) Silêncio (24) Tradução (24) Cesta Santa (23) Gente (22) Saúde (22) Viagens (22) Nossa Linda Juventude (21) Saudade (21) Psicologia (18) Superação (18) Palestra (17) Crônica (16) Gracinha (15) Bizarro (14) Casamento (14) Psicanálise (13) Santa Casa de Misericórdia Franciscana (13) Carta (12) Italiano (12) Micos (12) Socialismo (11) Comunismo (10) Maternidade (10) Lêndias da Internet (9) Mimesis (9) Receita (9) Q.I. (8) Retrô (8) Teatro (7) Dããã... (6) Flamengo (6) Internacional Memória (6) Alemão (5) Latim (5) Líbano (5) Tecnologia (5) Caninos (4) Chocolate (4) Eqüinos (3) Reaça (3) Solidão (3) TPM (2) Pregui (1)

Arquivo