Creio que não existe nada de mais belo, de mais profundo, de mais simpático, de mais viril e de mais perfeito do que o Cristo; e eu digo a mim mesmo, com um amor cioso, que não existe e não pode existir. Mais do que isto: se alguém me provar que o Cristo está fora da verdade e que esta não se acha n'Ele, prefiro ficar com o Cristo a ficar com a verdade. (Dostoievski)

FAÇA COMO EU: VISITE O BLOG DELES, E SIGA-OS TAMBÉM! :)

25 de set de 2009

resposta ao comentário de um anônimo

Olá, a todos. 


Hoje iria postar dois excelentes textos que foram publicados na última edição da revista Ultimato, um do Alderi Souza de Matos e outro, do Rubem Amorese. Mas eles vão ficar para amanhã. Mudei de ideia. Recebi um comentário anônimo acerca de minha postagem "Vãs repetições" e, de modo geral, da maneira como tenho administrado os temas postados aqui no Blog, e achei interessante responder a essa manifestação. Como a pessoa não se identificou, não vi problemas em postar o texto e a resposta que escrevi para as ideias nele contidas. 


Um abraço,


Maya


:)


***
Anônimo disse...


Seu texto é cheio de informações e um conteúdo muito interessante,trazendo bastante conhecimento científico,mas uma pergunta que fica no ar, por que ao invés de usar o seu blog para divulgar o evangelho que você está defendendo ser o verdadeiro,você critica os políticos,fala mal de igrejas,pois pelo pouco que sei,a Bíblia diz que devemos orar pelos que exercem posição de autoridade e que devemos viver em amor.

"Timóteo 2




1 ADMOESTO-TE, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões, e ações de graças, por todos os homens;
2 Pelos reis, e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade;
3 Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador,
4 Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade."
I Corintios 12:31 e 13:1
"31 Portanto, procurai com zelo os melhores dons; e eu vos mostrarei um caminho mais excelente.
AINDA que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine."
Poderia está investindo seu tempo e blog para divulgar matérias que levariam pessoas á salvação,e não outros cristãos a vãs discussões.
Tito 3:9 :
" Mas não entres em questões loucas, genealogias e contendas, e nos debates acerca da lei; porque são coisas inúteis e vãs.
10 Ao homem herege, depois de uma e outra admoestação, evita-o,
11 Sabendo que esse tal está pervertido, e peca, estando já em si mesmo condenado."
Usemos a internet para a pregação do evangelho!


Sexta-feira, 25 de Setembro de 2009 12h39min00s BRT
***
Minha resposta: 
Olá, anônimo,



Agradeço por seus elogios e por seu comentário, que certamente exigiram de você leitura bíblica e pesquisa. Gostaria que você se identificasse, mas imagino  de que igreja você é, pelo conteúdo de seu texto. Vou responder.

Primeiro, meu texto não está “cheio de conhecimento científico”, como você diz. Tem conhecimento científico, e eu não o desprezo, mas meu texto, na verdade, está cheio de conhecimento bíblico. Em todo o tempo cito a Bíblia e Jesus, o qual devemos imitar. Acima de tudo, é o comportamento de Jesus que deve pautar a vida dos cristãos; entretanto, é o que menos serve de modelo hoje.

Quanto à sua pergunta, que “fica no ar”: eu uso meu blog para divulgar o evangelho, sim. Criticar o comportamento dos políticos é lutar por justiça, é denunciar os fariseus de nossos tempos, é defender a causa dos órfãos e das viúvas, e é por esse fruto que hão de conhecer os que são de Cristo. Em Isaías 58, isso fica evidente: nada há de mais esclarecedor que essa passagem, que condena os falsos rituais da igreja e diz que o verdadeiro jejum é “soltar as ligaduras da impiedade e desfazer as ataduras do jugo, deixando livres os quebrantados e despedaçando todo o jugo”. De que modo você vê isso?

É claro, anônimo, que eu defendo o verdadeiro evangelho. Não fico dentro das igrejas, usando-as para vender CDs e livros, fazendo o que os mercadores do templo faziam, ou pregando um evangelho que despreza a situação lamentável do país em que vivemos e prefere falar do MacDonald’s, um evangelho distante da situação de milhões de brasileiros, distante da luta por justiça que deveria estar encabeçada pelos cristãos. Na época em que viveu Jesus neste mundo, os fariseus e escribas exerciam poder político também, além de religioso. Isso quer dizer que quando Jesus se dirige a eles em Mateus 23, chamando-os de “hipócritas”, ele se dirige aos políticos, donos do poder, que tinham influência sobre a cobrança de impostos, a condenação de pessoas (não foram os fariseus que entregaram Jesus aos romanos?), a administração da cidade. Quando você diz que eu “falo mal dos políticos” vejo aí que você se esquece ou não leu as palavras de Jesus para se referir escribas e fariseus. Ele os chamou de hipócritas, cegos, mentirosos, insensatos, serpentes e raça de víboras. Essas palavras de Jesus, se dependesse de alguns pastores, seriam apagadas da Bíblia, pois nas igrejas prega-se um Jesus fraco, covarde, mudo, alienado, distante dos problemas concretos do povo, distante da política, diferente do Jesus que eu conheço pela leitura do Novo Testamento – não o Jesus de que me falam muitos dos pastores, quase todos “condutores cegos”, que coam o mosquito e deixam passar o camelo.

Jesus via a corrupção, a hipocrisia, a miséria do povo, o roubo, a mentira, e não se calava. Se você acha que isso é “falar mal de políticos”, então pode ter certeza: eu faço a mesma coisa que Jesus. É esse o Jesus que eu sigo. É esse o meu amado: corajoso, lúcido, consciente e verdadeiro. Você diz que eu falo mal de igrejas. De que igrejas? Você fala aqui deste meu texto, no qual critico a Teologia da prosperidade? É isso que você chama de “igreja”? Uma teologia demoníaca e em desacordo com a Bíblia? Sim, eu critico. Sim, e eu levo tudo à luz da Palavra. Veja hoje o mundo evangélico, como está. Em quê o povo de Deus tem sido sal e luz? Na fila do MacDonald’s? Fechado nas suas igrejas, sem lutar por justiça, por dignidade, compactuando com a corrupção dos políticos, com um mundo sujo e torpe? Conformando-se com este mundo? Calado, em seus cultos de domingo?

Do mesmo modo que você fala que eu “falo mal das igrejas” você deve achar que os Profetas falavam mal de suas igrejas, e que o próprio Jesus falava mal das igrejas de sua época. Veja em Jeremias 2, versos de 8 a 13. Ele fala mal da “igreja”, quando denuncia os pastores que, segundo a Palavra, prevaricaram contra o Senhor? Veja o mesmo Jeremias, cap. 23: “Ai dos pastores que destroem e dispersam as ovelhas do meu pasto”... Estaria Jeremias “falando mal” dos pastores? Ou estaria Jeremias sendo profeta? Há tantos outros exemplos... Se você ler a Bíblia, há de encontrá-los em Isaías, em Amós, nos Evangelhos... Infelizmente, a maioria das pessoas só se lembra ou só lê na Bíblia aquilo que lhes interessa. Jesus denunciou os falsos pastores, os “lobos em pele de cordeiros”. Você acha que só havia lobos na época de Jesus? Não, eles existem hoje! E publicam livros, vendem CDs de pregação, andam de terno e têm programas de TV. Mas você, anônimo, que não tem coragem de dizer quem é, acredita que denunciar as atitudes antibíblicas dessas pessoas à luz da Palavra é “falar mal das igrejas”, e é por conta de comportamentos como o seu, e da tolerância ao mal dentro das igrejas, é que há tantos escândalos, corrupção e desânimo nas igrejas evangélicas de hoje. Isso, sim, impede que muitos sejam levados à salvação. O descrédito da maioria das igrejas nos dias atuais vem do fato de que elas se tornaram lugares de alienação e comércio, e os que fazem isso com as igrejas também se calam diante das injustiças, achando que seu silêncio e sua omissão contribuem para levar a salvação às pessoas. Você acha que a maioria dos que não conhece Jesus não vê como agem muitas igrejas, muitos líderes, hoje? Você fala de amor, em Coríntios, mas onde está o amor pelos pobres, injustiçados, oprimidos? Está numa cesta básica? Nas roupas usadas que são doadas? Manifestar-se contra a corrupção na política é manifestar amor pelos que são prejudicados por essa corrupção. Mais que isso, é não se conformar com este mundo, é ter sede e fome de justiça e mostrar às pessoas o caráter digno de Jesus, manifestando-se em nós.

Outra coisa: creio que você se confunde quando cita Timóteo 2. Desculpe-me, mas devo dizer: orar pelas autoridades não nos impede de denunciá-las. As duas ações não são contrárias. Oremos pelas autoridades, para que se convertam, para que Deus abra seus olhos, para que ajam em prol da justiça. E também denunciemos o mal que essas mesmas autoridades praticam contra os pobres, contra os órfãos e as viúvas de nosso tempo. Onde está o antagonismo dessas duas ações? Jesus fez isso. Orou por aqueles que o perseguiam. Na cruz, pediu a Deus que os perdoasse, porque não sabiam o que faziam. Esse é o ministério sacerdotal de Jesus. Ele orava por todos, orava para que fossem salvos, orava para que se arrependessem, orava para que deixassem seus maus caminhos. Mas Jesus também denunciava o mal. Ele denunciava a injustiça praticada pelas autoridades, e fez isso muitas vezes, não só em Mateus 26, como também no Sermão do Monte, em que ele diz que felizes são os que têm fome e sede de justiça. Se felizes são os que têm fome e sede de justiça, são infelizes os que se conformam e se calam diante da injustiça.  

Também não entendo, anônimo, o que você quis dizer quando se referiu a “questões loucas”. A que genealogias e contendas você se refere? Será que Paulo, ao escrever para Tito, se referiu a Cristo, que chamou os fariseus de hipócritas e denunciou a injustiça? Ou aos que desobedeceram as autoridades romanas e pregaram a palavra com intrepidez, em Atos? O que você quer caracterizar como “questões loucas, contendas, debates acerca da lei, coisas inúteis e vãs”? Com sua citação você se refere às minhas postagens, que denunciam os políticos hipócritas? Ou aos meus textos que desmascaram os lobos, abrigados em pele de cordeiro, nas igrejas, pregando a Teologia da prosperidade? Essas são para você as “questões loucas” etc.? Pois para mim, vãs são as pregações que se esquecem dos pobres, dos presos, dos doentes, da misericórdia, da justiça de Deus, das boas obras, do amor... Veja o que Jesus denuncia, em Mateus 25:41-46. Eu me preocupo com isso, pois hoje escuto na igreja pregações que falam do “eu”, cada vez mais, e cada vez menos do próximo e de Deus. Você usa uma passagem de Tito, carta que Paulo escreveu a um de seus auxiliares, que estava em Creta, a fim de ajudar a consolidar a igreja e a direcionar a escolha dos líderes, e de mostrar o papel dos anciãos, das idosas, das jovens etc., para tentar caracterizar meu pensamento como vão, e minhas postagens como contendas. Veja, Paulo fala a Tito acerca dos falsos mestres, que devem ser repreendidos e silenciados. A quem ele se refere? Paulo, que aprendeu a estar satisfeito em qualquer circunstância material, hoje denunciaria os falsos mestres da Teologia da prosperidade, que estão ricos, cheios de bens que a traça e a ferrugem vai corroer, mas pouco ocupados em visitar os presos, os doentes e os fracos de que Jesus fala em Mateus 25:35. Esses, que para mim são falsos mestres, estão ocupados em pregar uma doutrina maligna, que distorce a Palavra de Deus e está  misturada com religiões orientais, valorizando o material e se esquecendo do mais importante que a Bíblia nos ensina.

De acordo com sua postagem, também quero saber: quem é o homem herege? Quem é o pervertido? Quem é o condenado? É o que está dentro da Igreja? É o que está fora? Herege, para mim, são os muitos lobos em pele de cordeiro, insensíveis e alienados, despreocupados com sua Nação, que não se indignam com a corrupção, que pregam um evangelho pela metade, que adaptam os versos bíblicos de acordo com suas necessidades e interesses, que manipulam os fieis, que são verdadeiros vendilhões do templo e usam a igreja para enriquecer e fazer seus negócios e seu comércio. 

Para finalizar, devo esclarecer: eu uso a Internet para a pregação do evangelho. O problema é que o seu evangelho, pelo visto, é diferente do meu. O meu é integral, inteiro, com todas as vírgulas e todas as frases de Jesus. O seu exclui o Jesus que tem sede de justiça e denuncia os hipócritas escribas e fariseus, os poderosos de sua época. Prova maior disso é que em seu texto, anônimo, você não citou nenhuma palavra de Jesus, desse mesmo evangelho que você me admoesta a pregar.

Um abraço,





Maya

6 comentários:

prjulio disse...

Será que o anônimo mandaria seu comentário para Isaias, Jeremias e João Batista que denunciaram e detonaram abertamente o pecado e a corrupção das autoridades.
Inclusive o próprio Jesus chamou Herodes Lulas de raposa.

Maya Felix disse...

Olá, pastor...

Pois é, esse anônimo seria um dos que enviaria Jesus para ser crucificado, provavelmente. E cortaria, ele mesmo, a cabeça de João Batista, que incomodava muito mais do que eu.

Abraço,

Maya

:)

Rogério Rezende disse...

Acho que meu comentário será um comentário que clama no deserto. Eu não sou seu anônimo, mas queria que você quando escrevesse e recebesse um texto discordando do seu, que publicasse também. Que fosse democrático, que desse a nós, decepcionados com esse cristianismo, o direito, se considerá-lo assim, o direito cristão do contrário. Esse pastor Julio que chama Lula de Herodes. Quem é ele para fazê-lo? Jesus tinha um cobrador de impostos corrupto: Mateus. Fez refeição na casa de Zaquel. Disse para dar a César o que é de César, corrupto, tirano e cruel; quando foi perguntado quando instalaria seu reino de justiça e paz, disse que seu reino não é deste mundo. Paulo diz, Romanos 13, que devemos ser submissos as autoridades. Os fariseus não administravam as cidades, cabia a saduceus e herodianos e romanos. Jesus nunca, em parte alguma do evangelho condenou a corrupção dos romanos. Ou seja, Jesus foi conivente? Creio que não. Mas ele sabia que somente seus ensinos praticados por gerações as coisas mudariam. E a história mostra que foi assim. No seu tempo os homens das igrejas tinham mais de uma mulher, isso mudou gerações depois, porque, Paulo disse o bispo, o diácono, seja marido de uma mulher. O líder dando exemplo com o passar do tempo as coisas mudaram. Criticar é cristão, mas as críticas precisam ter equidades, imparcialidades e acima de tudo, profundidade e embasamento, se possível com fatos e dados. Fora disso é apenas seguir um vento qualquer.

Maya Felix disse...

Prezado Rogério,

Todos os comentários feitos aqui no Blog são publicados! Alguns, muito poucos, são postados, como esse a que eu resolvi responder de modo mais minucioso. Você já postou aqui, mais de uma vez, e sempre teve suas ideias respeitadas e seu comentário respondido por mim.

Creio que o pr. Julio, no comentário acima, fala do Lula como político ardiloso e cheio de artimanhas que é. Nesse sentido, o Lula diz uma coisa e faz outra - veja o caso do apoio que Lula dá a Sarney, o que em minha opinião é revoltante e absurdo. Nesse sentido, Lula é uma raposa, pois procura levar vantagem em detrimento da luta contra a corrupção. Como ser humano, aos olhos de Deus, Lula é um pecador que precisa da Graça do Senhor, como todos nós. Como político, para mim que pago impostos e vejo o baixo retorno, Lula é um homem ao qual faço, sim, minhas críticas. é preciso separar as coisas, penso eu.

Um abraço, você é sempre bem-vindo aqui!

Maya

:)

Eliseu Antonio Gomes disse...

vento qualquer.

Mayalu

Gostei de ver o seu passeio pelas Escrituras Sagradas. Soube responder muito bem qual é a razão da sua fé.

O Lula de hoje não é mais o Lula dos sindicatos, está fazendo quase tudo que criticou ao ver outros fazendo.

Vejo fatos, dados, equidades, imparcialidades, profundidade, embasamento. Quem acompanha observa isso. E são muitos!

O vento que sopra aqui é o de Atos 2.

Abraço.

Eliseu Antonio Gomes
http://belverede.blogspot.com/

Maya disse...

Oi, Eliseu,

Obrigada por seu comentário! Pessoas se corrompem, erram, desviam-se de seus caminhos, por isso não podemos transformar ninguém em semi-Deus. Entretanto, estão fazendo isso com o Lula e com muitos de nossos pastores. Vamos perseverar na fé.

Um abraço,

Maya

Marcadores

Comportamento (719) Mídia (678) Web (660) Imagem (642) Brasil (610) Política (501) Reflexão (465) Fotografia (414) Definições (366) Ninguém Merece (362) Polêmica (346) Humor (343) link (324) Literatura (289) Cristianismo (283) Maya (283) Sublime (281) Internacional (276) Blog (253) Religião (214) Estupidez (213) Português (213) Sociedade (197) Arte (196) La vérité est ailleurs (191) Mundo Gospel (181) Pseudodemocracia (177) Língua (176) Imbecilidade (175) Artigo (172) Cotidiano (165) Educação (159) Universidade (157) Opinião (154) Poesia (146) Vídeo (144) Crime (136) Maranhão (124) Livro (123) Vida (121) Ideologia (117) Serviço (117) Ex-piritual (114) Cultura (108) Confessionário (104) Capitalismo (103) (in)Utilidade pública (101) Frases (100) Música (96) História (93) Crianças (88) Amor (84) Lingüística (82) Nojento (82) Justiça (80) Mulher (77) Blábláblá (73) Contentamento (73) Ciência (72) Memória (71) Francês (68) Terça parte (68) Izquerda (66) Eventos (63) Inglês (61) Reportagem (55) Prosa (54) Calendário (51) Geléia Geral (51) Idéias (51) Letras (51) Palavra (50) Leitura (49) Lugares (46) Orkut (46) BsB (44) Pessoas (43) Filosofia (42) Amizade (37) Aula (37) Homens (36) Ecologia (35) Espanhol (35) Cinema (33) Quarta internacional (32) Mudernidade (31) Gospel (30) Semiótica e Semiologia (30) Uema (30) Censura (29) Dies Dominicus (27) Miséria (27) Metalinguagem (26) TV (26) Quadrinhos (25) Sexo (25) Silêncio (24) Tradução (24) Cesta Santa (23) Gente (22) Saúde (22) Viagens (22) Nossa Linda Juventude (21) Saudade (21) Psicologia (18) Superação (18) Palestra (17) Crônica (16) Gracinha (15) Bizarro (14) Casamento (14) Psicanálise (13) Santa Casa de Misericórdia Franciscana (13) Carta (12) Italiano (12) Micos (12) Socialismo (11) Comunismo (10) Maternidade (10) Lêndias da Internet (9) Mimesis (9) Receita (9) Q.I. (8) Retrô (8) Teatro (7) Dããã... (6) Flamengo (6) Internacional Memória (6) Alemão (5) Latim (5) Líbano (5) Tecnologia (5) Caninos (4) Chocolate (4) Eqüinos (3) Reaça (3) Solidão (3) TPM (2) Pregui (1)

Arquivo