Creio que não existe nada de mais belo, de mais profundo, de mais simpático, de mais viril e de mais perfeito do que o Cristo; e eu digo a mim mesmo, com um amor cioso, que não existe e não pode existir. Mais do que isto: se alguém me provar que o Cristo está fora da verdade e que esta não se acha n'Ele, prefiro ficar com o Cristo a ficar com a verdade. (Dostoievski)

FAÇA COMO EU: VISITE O BLOG DELES, E SIGA-OS TAMBÉM! :)

30 de mar de 2009

a procuradora obtusa e a burrice aguda

Prezados leitores,

Já vi muitos argumentos a favor do aborto: alguns, bem estruturados e, dentro da lógica de quem é a favor, coerentes. Outros, completamente estúpidos, irresponsáveis, egoístas e intelectualmente anacrônicos. 

O programa Canal Livre, exibido neste domingo à noite, pela TV Bandeirantes, me deu a oportunidade de assisitir a uma dos discursos pró-aborto mais sem sentido de que já pude tomar conhecimento, em toda a minha vida. A procuradora de Justiça do Estado de São Paulo Luiza Nagib Eluf presenteou os telespectadores com uma argumentação tosca e anacrônica a favor do aborto. Segundo ela, a punição para a mulher que aborta, vigente no Código Penal brasileiro, é na verdade uma rejeição machista ao prazer feminino, um "punição" à mulher que faz sexo livremente, engravida e deve ter o direito de se livrar do incômodo "embrião", ou, num estágio mais avançado, "feto" (odeio essas palavras desumanizadoras para uma vida humana em formação). Nos anos 50 e 60, na origem do movimento feminista, o argumento da procuradora era usado pelos que defendiam a descriminalização da interrupção da gravidez em qualquer situação. Isso fez sentido no contexto de maio de 68, no início da divulgação dos métodos contraceptivos - sobretudo da pílula anticoncepcional, no auge do movimento feminista, que pregava a igualdade entre os sexos e rejeitava toda forma de submissão da mulher, inclusive a maternidade. Hoje, aproximadamente meio século depois, esse argumento provou-se falso na Europa e nos Estados Unidos, onde o que não falta é informação e onde, mesmo tendo a mulher amplo acesso a métodos contraceptivos, não se hesita em abortar para "evitar" a gravidez. Uma década após o início do século XXI, mesmo após os estudos da Biologia comprovando o início da vida na fecundação do óvulo pelo espermatozóide, mesmo após o DIU, a pílula e a camisinha, mesmo após a Constituição de 88 no Brasil, uma procuradora de Justiça usa esse argumento desfocado para defender o aborto.

No século XXI, neste país, com todo o acesso às possibilidades de se evitar a gravidez, só engravida quem é irresponsável. E outro ser humano, formado no ventre feminino por meio do sexo - não importa se o ato sexual foi entre marido e mulher ou totalmente  ocasional - não deve pagar com sua vida pela iresponsabilidade alheia. Hoje, em pleno 2009, o prazer feminino não é mais "punido", nem no Brasil nem no restante da sociedade ocidental, muito pelo contrário. O que a sociedade não aceita mais é a irresponsabilidade da mulher e, em menor escala, do homem, tendo em vista que não é ele que gesta a nova vida (e essa é uma realidade biológica, por mais que as feministas odeiem o fato). Ao contrário da procuradora Luiza, de São Paulo, a maioria da sociedade não crê que no ventre materno está uma coisa inanimada, um objeto descartável, mas um ser humano em desenvolvimento, indefeso, que tem o direito à vida, e cabe à sociedade, por meio do Estado, garantir a ele esse direito que a própria mãe quer tirar-lhe. 

O que é difícil para mim, nessa história toda, é imaginar como uma pessoa de perfil obtuso como Luiza Nagib Eluf chegou à Procuradoria de Justiça do Estado de São Paulo.

2 comentários:

Daladier Lima disse...

Prezada Maya, são pessoas assim que estão formulando caminhos para a aprovação do aborto no Brasil. Sinceramente quando falam em 1 milhão de abortos cladestinos torço o nariz. Inflam os números para legitimar um assassinato.
Por que ela não se preocupa com a promiscuidade! Dá asco!

Mayalu Moreira Felix disse...

Caro Daladier,

A ex-senadora Heloísa Helena desmascarou esses dados gigantescos e irreais. Isso é coisa de quem não tem escrúpulos, como me parece ser o caso da procuradora de São Paulo. Se for o caso, vou para as ruas a fim de defender as vidas que não podem se defender sozinhas. É por essa (e por muitas outras) que eu faço campanha contra o PT hoje em dia.

Um abraço,

Maya

Marcadores

Comportamento (719) Mídia (678) Web (660) Imagem (642) Brasil (610) Política (501) Reflexão (465) Fotografia (414) Definições (366) Ninguém Merece (362) Polêmica (346) Humor (343) link (324) Literatura (289) Cristianismo (283) Maya (283) Sublime (281) Internacional (276) Blog (253) Religião (214) Estupidez (213) Português (213) Sociedade (197) Arte (196) La vérité est ailleurs (191) Mundo Gospel (181) Pseudodemocracia (177) Língua (176) Imbecilidade (175) Artigo (172) Cotidiano (165) Educação (159) Universidade (157) Opinião (154) Poesia (146) Vídeo (144) Crime (136) Maranhão (124) Livro (123) Vida (121) Ideologia (117) Serviço (117) Ex-piritual (114) Cultura (108) Confessionário (104) Capitalismo (103) (in)Utilidade pública (101) Frases (100) Música (96) História (93) Crianças (88) Amor (84) Lingüística (82) Nojento (82) Justiça (80) Mulher (77) Blábláblá (73) Contentamento (73) Ciência (72) Memória (71) Francês (68) Terça parte (68) Izquerda (66) Eventos (63) Inglês (61) Reportagem (55) Prosa (54) Calendário (51) Geléia Geral (51) Idéias (51) Letras (51) Palavra (50) Leitura (49) Lugares (46) Orkut (46) BsB (44) Pessoas (43) Filosofia (42) Amizade (37) Aula (37) Homens (36) Ecologia (35) Espanhol (35) Cinema (33) Quarta internacional (32) Mudernidade (31) Gospel (30) Semiótica e Semiologia (30) Uema (30) Censura (29) Dies Dominicus (27) Miséria (27) Metalinguagem (26) TV (26) Quadrinhos (25) Sexo (25) Silêncio (24) Tradução (24) Cesta Santa (23) Gente (22) Saúde (22) Viagens (22) Nossa Linda Juventude (21) Saudade (21) Psicologia (18) Superação (18) Palestra (17) Crônica (16) Gracinha (15) Bizarro (14) Casamento (14) Psicanálise (13) Santa Casa de Misericórdia Franciscana (13) Carta (12) Italiano (12) Micos (12) Socialismo (11) Comunismo (10) Maternidade (10) Lêndias da Internet (9) Mimesis (9) Receita (9) Q.I. (8) Retrô (8) Teatro (7) Dããã... (6) Flamengo (6) Internacional Memória (6) Alemão (5) Latim (5) Líbano (5) Tecnologia (5) Caninos (4) Chocolate (4) Eqüinos (3) Reaça (3) Solidão (3) TPM (2) Pregui (1)

Arquivo