Creio que não existe nada de mais belo, de mais profundo, de mais simpático, de mais viril e de mais perfeito do que o Cristo; e eu digo a mim mesmo, com um amor cioso, que não existe e não pode existir. Mais do que isto: se alguém me provar que o Cristo está fora da verdade e que esta não se acha n'Ele, prefiro ficar com o Cristo a ficar com a verdade. (Dostoievski)

FAÇA COMO EU: VISITE O BLOG DELES, E SIGA-OS TAMBÉM! :)

30 de abr de 2009

guilherme fiúza


Tola  inquisição


Fica combinado assim: os políticos não prestam. Assim a opinião pública e seus críticos implacáveis se sentem limpinhos – assim como os americanos adúlteros gritavam aliviados contra Clinton e suas escapadas.

O estereótipo fedorento dos políticos serve para isso. Para o cidadão comum se sentir cheiroso. Mesmo que de vez em quando pague umas consultas sem recibo.

Fora do estereótipo, a coisa é mais complicada. O político pode ser mau e ter atitudes certas, e pode ser bom e ter atitudes erradas. No mensalão, o Brasil ficou morrendo de vergonha de parar para ouvir Roberto Jefferson, político fisiológico e conservador.

Mas Jefferson escreveu um capítulo da moralidade brasileira. E o Brasil pudico finge que não viu.

No caso das passagens aéreas, como o uso foi generalizado, a opinião pública já saca da manga sua solução terminal, do tipo “é tudo pilantra”. É a situação mais confortável para os verdadeiros pilantras. Ficam a salvo, bem protegidos pela generalização burra.

Por isso os escândalos se sucedem e somem após meia-dúzia de gritinhos de basta.

E é por isso que três anos depois de autoridades do governo sangrarem o Banco do Brasil em favor do PT, por meio do valerioduto, a cúpula do Banco do Brasil (seis vice-presidências) é entregue ao PT. Sem valerioduto.

Esculachem os deputados à vontade. Detonem Fernando Gabeira. Amanhã os vampiros do Congresso estarão morrendo de rir de vocês.


***


Texto de Guilherme Fiúza, publicado em seu blog.

28 de abr de 2009

o amor-simulacro

Os cristãos-simulacro e os bons samaritanos de hoje

De uma semana pra cá, ocorreram fatos que me fizeram refletir sobre uma idéia que os cristãos, sobretudo os evangélicos, em geral acham pouco agradável. Tenho me deparado com pessoas de credos diferentes e esses têm sido "luz e sal", verdadeiramente, em minha vida. 

Semana passada, tive um problema de saúde, e precisei de ajuda. Cheguei a ligar para uma pessoa que conheci em uma igreja próxima à minha casa, mas foram meus vizinhos, que não são evangélicos e que eu nem sei se são cristãos, que me socorreram com fraternal gentileza.

Há cerca de duas ou três semanas, entrei em um debate sobre o aborto em uma comunidade do Orkut. A comunidade, de professores, tem pessoas dos mais diferentes credos: espíritas, judeus, católicos e, também, ateus. Discuti, com esses, acerca de um tema difícil, que suscita paixões. Houve quem dissesse que o grande problema da humanidade era a religião, imiscuída no Estado e na gerência de setores "laicos", conduzindo princípios éticos e manipulando as leis em favor de atrasos e ideias retrógradas. Tudo isso foi dito, e mantive minha posição contra o aborto. A discussão foi muito boa e, apesar das visíveis discordâncias, respeito e educação foram a tônica do debate, que não deixou de ser apaixonado. 

Já numa comunidade de cristãos evangélicos, ao debater sobre política nacional, deparei-me com demonstrações lamentáveis de hostilidade, incompreensão e grosseria, vindas de pessoas que colam na camisa, em letras garrafais, as palavras "evangélico", "pastor", "presbítero", "evangelista" e "missionário", e delas se orgulham como se, por si só, os nomes juntassem aos objetos nominados as qualidades desejadas.

Tenho amigos que não são cristãos, mas em horas de tristeza sabem muito mais ser "abrigos no deserto" que outros, que dormem com a Bíblia na cabeceira da cama.

Na universidade, onde estive hoje, participei de uma reunião de pesquisa e, conversando acerca de tarefas a ser feitas, percebi a gentileza e a generosidade de colegas, professores e pesquisadores que não são religiosos, participam do carnaval, tomam cerveja e ouvem samba.

No supermercado, na farmácia, no ônibus, na internet, em todos os lugares, eu me surpreendo com a beleza e a bondade de seres humanos, homens e mulheres, jovens e velhos, que jamais pisaram em uma igreja evangélica mas que não tratam seu semelhante como inimigo, e não lhe são indiferentes na dificuldade. Ao contrário, agem como o samaritano que, ao ver o homem ferido à beira da estrada, escolheu socorrê-lo, e o fez porque não enchia o peito e proclamava sua superioridade religiosa sobre todos, como o judeu que passou ao largo. Pôde, assim, perceber e se condoer com o sofrimento e a deficiência daquele que, verdadeiramente, foi seu próximo. 

Falta aos filhos de Deus, ou pelo menos aos que tamanha honra se dão, invocando sobre si a paternidade divina e o parentesco espiritual com Cristo, compreender que quase sempre os tais ímpios têm sido mais sal e luz do que eles. 

Gosto de ir à Igreja. Há muita gente boa lá. Há pessoas generosas, amigas, sinceras, e há os que não são nada disso. O que me faz continuamente pensar se a Igreja é um lugar melhor que os outros ou é apenas mais um lugar, com paredes e bancos, banheiros e portas, é que na reunião de condomínio do meu prédio, na mesma proporção, tenho encontrado pessoas generosas, amigas e sinceras e outras, que não são nada disso.

Vejo o dia em que esta igreja de hoje, que arrota sua própria condição e dela se alimenta, fechada em seus rituais vazios de beleza retórica e amor-simulacro, será jogada no chão e pisada, se é que isso já não ocorre. 

***

É comprida a estrada que vai desde a intenção até à execução. 
Jean Molière

fim da liberdade de opinião política

Serginho sem máscaras: em depoimento, ele se expressa de modo no mínimo indelicado a respeito de alguém que ainda era membro de sua comunidade. Para ampliar, clique na imagem.

Vou contar uma história. Aconteceu comigo, e ninguém aqui vai conseguir adivinhar o nome das personagens e do cenário até que eu chegue ao fim. 

Tenho um perfil no Orkut. Gosto dessas coisas cibernéticas. Resolvi entrar em uma comunidade, de quase 60 mil membros. 

Lá, vi alguns tópicos de caráter político, então resolvi criar uns, também. Um deles denunciava as manobras para a aprovação do PL da homofobia na Câmara (PLC 122) e toda a articulação política do movimento nazifascista gay a fim de calar os que têm opinião diferente sobre a prática homossexual. Quem está por trás desse PL? Sim, o PT. No Executivo, o partido financia a execução de eventos de grupos e ONGs GLBT. O maior obstáculo à aprovação do PL da homofobia tem sido a atuação de grupos cristãos, seja evangélicos ou católicos: vêem nele uma mordaça aos princípios morais que norteiam a fé cristã em todo o mundo. Outro tópico tratava do aborto. Tema controverso, o aborto já foi objeto de postagem aqui no blog. O PT (mais uma vez o PT...), em seu programa partidário, compromete-se a lutar pela legalização do aborto e, por isso, alguns deputados contrários à prática sofreram ameaça de expulsão há cerca de dois meses. As igrejas cristãs, todas, são contrárias ao aborto. Vêem nele a supressão da vida e, portanto, uma prática contrária aos mandamentos cristãos. Outro tópico: O governo Lula e as inúmeras denúncias de corrupção que o rondam, além de outras máculas, como a redução das verbas para a Educação, ausência de reformas, criação de currais eleitorais com o Bolsa-família  etc. Também criei um tópico sobre privatizações, aproveitando um texto que postei aqui no blog há algum tempo. 

A reação de membros da comunidade, particularmente de um, foi violenta. Sem ter iniciado nenhuma agressão, fui duramente repreendida por ter tido a audácia de "insultar" o presidente Lula. Ah, sim, havia também um tópico sobre a ministra Dilma e suas ações terroristas em um passado não muito distante. Fui acusada de ofendê-la.  Apesar de tópicos como "Um manifesto de intelectuais pró-Lula" estarem de pé, os meus, criticando o Lula, foram todos rechaçados. Um membro da comunidade, que diz ser de uma Assembléia de Deus, me insultou de nomes impraticáveis. Exemplos? Fui chamada de viúva de FHC, louca, senil, lavadeira, cobra, mãe dinah, bêbada, candinha, tipinha, inútil, carente, estúpida, fofoqueira de plantão, leão lobo de saia, maria carabina, fundamentalista, lúcia hipólito genérica, venenosa, doente, do vale do amanhecer, com TPM permanente etc. Fui também chamada de "hacker", "troll" e "fake"... [eu tinha me esquecido de um... "faxineira da UnB"... Bom, pra mim não é insulto nenhum, mas da maneira como o rapaz disse, foi ofensivo.].

Vocês devem estar se perguntando: E a moderação? Não fez nada. Ou melhor, fez: apagou todos os tópicos em que havia críticas ao Lula, ao PT e à esquerda. Em seguida, tratou de me repreender publicamente. No final das contas, fui expulsa sem grandes explicações, após receber informações de que um dos moderadores da comunidade estava agindo como um leva-e-traz, tratando de colocar alguns membros que achavam a situação injusta contra mim com informações falsas, por conta das "ofensas" que dirigi ao Lula.

Ah, vocês acham que era uma comunidade do tipo "Esquerda radical no Brasil", ou "PT até morrer"? Não, de modo algum. Trata-se da comunidade "Assembleia de Deus", que traz a imagem de Gunnar Vingren e Daniel Berg na apresentação. O moderador que fez tudo o que falo, aí em cima, não é o sobrinho do José Dirceu, é um pastor da Assembleia de Deus de Brasilia, o "pastor Serginho", que atua sob a autoridade da Convenção Evangélica das Assembleias de Deus do Distrito Federal, a CEADDIF, segundo o que ele mesmo informou por lá. Dois membros que tentaram argumentar em minha defesa foram expulsos. 

Na comunidade, diz o pastor/moderador, cujo perfil no Orkut é "esquerda-liberal": [sobre a comunidade "Assembleia de Deus", fundada e mediada por ele] "Não é de esquerda e nem de direita, mas uma comunidade tolerante. Aqui deixamos as opiniões fluirem, mas não queremos esta comunidade atrelada a partido político." Em mensagem enviada a um amigo, diz o mesmo pastor: "Nem Jó teria tanta paciência com essa mulher. Ela agrediu todo mundo, Lula, Dilma, e ai quando o Luck postou ela virou o demonio (...) o máximo que chamaram ela foi de viúva de FHC".

Essa foi uma surpresa, amigos. A comunidade "Assembleia de Deus", no Orkut, é partidária. Não se pode, ali, criticar "Lula e Dilma", nem o PT, nem a esquerda. Não se pode dizer que o aborto é ponto programático do PT. Não se pode dizer que o PLC 122 é uma proposta do PT. Ali vigora a Lei da Mordaça e a expulsão sumária. O membro que me insultou o fez sob as bênçãos do "pastor Serginho", um homem "liberal de esquerda" mas nada comprometido com os princípios da Bíblia.

No final de tudo, fui expulsa. O rapaz que me insultou está lá. Nem uma palavra do "pastor Serginho", que de pastor só deve ter o diploma. São quase 60 mil membros. Será que todos sabem do que acontece ali? Certamente não. De forma indireta, a comunidade "Assembleia de Deus" no Orkut tem passado ao largo de debates que tratam de temas atualmente relevantes para os cristãos do Brasil, como o aborto, a corrupção, a Educação pública, o PL da homofobia e tantos mais. Porque se tocar nesses assuntos, fatalmente terá que falar do PT e de boa parte da esquerda, e pelo visto essas são as meninas dos olhos dos líderes daquele grupo. Esqueçam Jesus, os líderes daquela comunidade se ajoelham diante do Lula.

Só mais uma coisa: algumas postagens eu mesma apaguei. Outras estão sendo apagadas. Tentei encontrar uma delas, agora há pouco, e ela já não estava lá. 

Lamentável. Que Deus tenha misericórdia de nós.


27 de abr de 2009

fim da liberdade de crença e opinião

Miss diz que tirou 2º lugar por ser contra casamento gay nos EUA

Uma miss americana que tirou segundo lugar no concurso de beleza Miss Estados Unidos disse que só perdeu a competição por ter se manifestado contra o casamento de homossexuais.

Carrie Prejean, que é Miss Califórnia, disse durante o concurso, realizado no domingo, que acredita que "um casamento deveria acontecer entre um homem e uma mulher".

"Isso me custou a coroa", disse Prejean após a competição. A vencedora foi a Miss Carolina do Norte, Kristen Dalton.

O vídeo com a declaração de Prejean tornou-se um hit no site YouTube. Ela responde a uma pergunta feita por um dos jurados do Miss Estados Unidos, o blogueiro Perez Hilton.

"Eu acredito que um casamento deveria acontecer entre um homem e uma mulher. Isso não é nenhuma ofensa às outras pessoas, mas é como eu fui criada."

Após as declarações, houve vaias e aplausos na plateia. Depois do concurso, que passou na televisão americana, ela disse: "Eu não aceitaria dizer qualquer outra coisa. Eu disse o que eu sinto. Eu dei uma opinião que é verdadeira comigo mesma e isso é tudo o que eu posso fazer".

O jurado Perez Hilton disse que ficou "arrasado" pela resposta de Prejean, que, segundo ele, "alienou milhões de americanos gays e lésbicas, suas famílias e seus apoiadores". "Ela perdeu por causa desta resposta. Ela era definitivamente a favorita até então."

Um dos diretores da competição Miss Califórnia, Keith Lewis, condenou os comentários de Prejean em uma nota oficial.

"Como co-diretor do Miss Califórnia, eu estou pessoalmente triste e atingido que a Miss Califórnia acredita que o direito ao casamento só pertence ao homem e à mulher."

FONTE: UOL

***

No Brasil, o movimento gay articula a aprovação do PLC 122, mais conhecido como Lei da Homofobia, de autoria do PT, no Senado. Com o apoio do governo Lula, o Projeto já foi aprovado na Câmara. Os vídeos abaixo mostram de que maneira age o movimento gay, cuja prática intimidatória visa cercear a liberdade de expressão acerca dos que não consideram o homossexualismo um comportamento normal. 

Os vídeos são chocantes, recomendo cautela a quem for mais sensível. Fonte: Site Mídia sem Máscara.

Para ver e ouvir, vá primeiro à janela cinza "Maya_musique", na coluna à esquerda, e clique em "pause". Depois, venha aqui e clique em "play". 

parte 1:



parte 2:

23 de abr de 2009

rico sou

FOTO: ruínas de Laodicéia

Isto diz o amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus: Eu sei as tuas obras, que nem és frio nem quente: oxalá foras frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és frio nem  quente, vomitar-te-ei da minha boca. Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu.

Apocalipse de João, capítulo 3, versos 14b a 17.

22 de abr de 2009

vamos aprender




eleições na CGADB: a reflexão do pastor Mark Lemos


Tenho visto de tudo, sobre essas eleições da CGADB, e nem sei mais o que pensar. Em todos os lugares os cristãos assembleianos opinam, se manifestam, estão curiosos, perplexos e indignados.

Não há, como eu tinha pensado inicialmente, um grupo que deseje de fato mudanças profundas na CGADB. O que há, tenho observado, é disputa pelo poder, e por parte de ambos os lados. É benéfica a alternância de poder, mas se o objetivo não for rever a forma com que as AD têm se conduzido, então não valerá a pena, de fato, mudar a presidência: vamos trocar seis por meia-dúzia. 

A igreja que faz a obra de Deus de fato comparece pouco à CGADB. São as formiguinhas que saem do país ou vão para lugares ruins e difíceis fazer missões, os pregadores anônimos, os pastores que nada ganham, e muitas vezes pagam, para ver almas sendo ganhas para Cristo, as irmãs idosas que se reúnem para orar às 6h da manhã, e interecedem pela Igreja (membros, trabalhos, obras, líderes etc.). 

É realmente lamentável. Tendo a assumir posição, como já assumi, apoiando a chapa liderada pelo Pr. Samuel Câmara. Mas mesmo lá sei que há pastores que comandam suas entidades regionais há anos com mão de ferro, e têm comportamento semelhante ao atual presidente da CGADB, que está no poder há 22 anos. Conheço o trabalho de um membro da chapa do Pr. Samuel Câmara: é um pastor de Brasília que investe em missões, ação social, evangelização. Mas reconheço que todos os "lados" estão contaminados, em maior ou menor escala, pela fome do poder e do dinheiro. É lamentável, mesmo. Leiam os textos abaixo. E que Deus tenha piedade de nós.


De todos os blogueiros assembleianos, eu fui um dos poucos que não escreveu absolutamente nada sobre a 39º AGO. Antes, me limitei a ler as postagens, quase sempre falando mal deste ou daquele candidato, sem nunca mencionar suas virtudes. Houve muito sensacionalismo. Certo pastor assembleiano publicou uma “notícia”, que recebeu por telefone. Segundo ele, um amigo (que ele não revelou o nome) disse que os pastores de uma determinada região (que ele não revelou qual é) estavam sendo ameaçados de punição, caso não votassem. Ele também não quis revelar o autor das ameaças: faltou-lhe coragem para dar nome aos bois.

Verdade seja dita: quase tudo que se falou sobre a AGO de Vitória – ES, foi puro Jabá: bastava incluir a sigla CGADB no título da postagem para garantir sucesso nas buscas do google e aumentar o contador de visitas. Conteúdo que é bom, necas! Gostei do artigo do Victor Leonardo, no blog Geração que Lamba. Mas quando parecia que finalmente alguém havia escrito algo decente, censuraram o blogueiro. Parece que o pessoal da “Igreja Mãe” não gostou das idéias do rapaz, e o coagiu retirar a postagem.

De todos os artigos que li sobre as eleições da nossa “querida” convenção, o mais sensato e inteligente comentário foi do Pastor Mark Lemos, que estreou na blogosfera com um artigo com o título “Lamentável!”. Mesmo sabendo que as eleições convencionais serão amanhã, e que a maioria dos ministros estão viajando à Vitória neste exato momento, gostaria de re-postar o artigo do Pr. Mark para a apreciação dos colegas convencionais. Hoje vivo no Peru, país onde sou missionário, e não poderei comparecer às urnas. Mas, para ser sincero, mesmo que eu estivesse no Brasil, não compareceria a esta eleição. É uma vergonha que uma convenção com milhares de ministros, tenha apenas 2 candidatos à presidencia e só duas chapas disputando a liderança. Não, definitivamente eu não iria à Vitória. Dedicaria meu dia a um fim mais nobre, daria um passeio com a família na praça... Mas não iria à Vitória assistir a gladiadores políticos lutando pelo poder. Meus motivos? O Pastor Mark bem os expressa no texto à seguir. Como eu queria ter escrito um texto assim, mas faltou-me experiência e autoridade para opinar sobre tão importante tema:


"Ao escrever essas linhas, é com sentimento de tristeza que reflito sobre a 39ª Assembléia Geral Ordinária da CGADB.

Recebi a notícia de que quase 17.000 pastores inscreveram-se para participar da próxima AGO em Vitória-ES. Confesso que estou triste não pela quantidade de pastores (ministros), mas sim pela aparente motivação que leva a maioria dos mesmos a esta Convenção Geral. Se não houvesse eleições este ano e a AGO fosse convocada para uma semana de reflexão, jejum e oração; ficaria surpreso se o número de inscritos passasse de 2.000.

Nos últimos 2 anos (final de 2006 ao término de 2008) o numero de pastores consagrados subiu quase 50% (dados oficiais). Estas consagrações não ocorreram porque houve a necessidade de mais pastores dado a proporção do crescimento em 50% da denominação. Seria ingenuidade da minha parte crer nisto. Essas consagrações se deram em sua maioria por necessidade de mais votos! Durante a última AGO da convenção a que pertenço, COMADESPE, em Janeiro deste ano, o presidente da CGADB trouxe a palavra devocional no último dia e durante a sua palavra incentivou todos os pastores a irem a Vitória para votarem, dizendo que “apenas perderiam um dia. Sairiam de São Paulo na Quarta-Feira à noite, amanheceriam em Vitória na Quinta-Feira, votariam e poderiam voltar a São Paulo no mesmo dia”. Se este “circo político” não for desarmado, não me surpreenderei se na AGO de 2013 tivermos 30.000 pastores inscritos e realizarmos nossas plenárias no Morumbi, Maracanã ou outra praça de esportes do nosso país.

Dados obtidos extra-oficialmente nos bastidores dos candidatos na campanha eleitoral pela presidência da CGADB em 2007 apontam que mais de 5 milhões de reais foram gastos em função de uma eleição. Se fizermos a projeção para esta eleição os valores passam de 10 milhões de reais. Eu pergunto ao leitor, o que poderia ser feito para o Reino de Deus com todo esse dinheiro? Quantos templos poderiam ser construídos? 150 templos com capacidade para 300 pessoas, abrigando 45 mil crentes. Quantas famílias de missionários poderiam ser sustentadas no campo missionário por 2 anos? Poderíamos sustentar 312 famílias com um salário médio de R$ 4.000,00 mensais. Quantas Bíblias poderiam ser distribuídas com objetivo evangelístico? 1 milhão de pessoas receberiam uma Bíblia gratuitamente. Quantas cruzadas evangelísticas de grande porte poderiam ser realizadas no Brasil? 30 grandes cruzadas poderiam ser realizadas custando R$ 500.000,00 cada uma. Somando-se a isso, muitas outras coisas poderiam ser feitas que produziriam resultados diretos. Mas parece que estes “bons costumes” de evangelizar, construir mais igrejas, fazer missões e ver almas salvas estão em baixa. Precisamos revisitar Atos dos Apóstolos e reconsiderar nossas práticas à luz do propósito original da Igreja.

Sou filiado a CGADB desde 1984 e nos últimos anos tenho observado o caráter extremamente político que nossa convenção tem tomado. A situação e oposição consomem boa parte de seu tempo e energias tentando se manter ou assumir o poder, enquanto questões fundamentais não são abordadas. Com muita rapidez foi formado um Conselho Político que não consegui ate hoje entender sua real finalidade. No entanto, não temos ainda um departamento de Jovens, Infantil e Senhoras. Estes departamentos em nível de CGADB poderiam desenvolver estratégias evangelísticas e oferecer apoio às igrejas da denominação para alcançar este grande segmento de nossa sociedade para Cristo. A maior parte de nossas igrejas tem uma campanha do quilo, mas em nível de denominação não temos um departamento de ajuda humanitária para prestar auxilio a população em momentos de crise e catástrofes, e quando estas acontecem são feitas mobilizações de última hora que surtem pouco efeito e parecem mais uma campanha de marketing denominacional.

Quando surgem divergências de pensamento e opiniões (que ocorrem normalmente em qualquer organização) ao invés de resolvê-las a volta da mesa da cozinha com oração e amor cristão, vamos para a televisão lavar nossa roupa suja em rede nacional, mostrando ao mundo uma imagem negativa sobre a igreja.

O meu desejo para nós pastores da CGADB é que a oração sacerdotal de Cristo se cumpra em nossas vidas (Jo 17)".

pastor altair germano


UNIÃO ESTÁVEL E BATISMO NAS ÁGUAS

Devido a atualidade do assunto, resolvi publicar novamente este post (Publicado originalmente em 15/06/2007), abrindo desta forma o espaço para uma maior discussão e reflexão sobre o problema.

1. Sendo o casamento não sujeito a um padrão bíblico, judicial e cultural universal, entende-se que Deus o concebe conforme o tempo, cultura, costume e padrões normativos da sociedade, desde que não infrinja os princípios estabelecidos pela palavra de Deus, dentre os quais a heterossexualidade e a fidelidade conjugal (Gn 1.27, 2.22-25; Ex 20.14, 17; 1Tm 3.2;).

2. Não há na Bíblia sagrada nada que fundamente a idéia de que para ser reconhecido por Deus, o casamento precise de uma certidão ou contrato, quer estabelecido pelos pais, pela religião ou pelo estado. A prova disto é que os casamentos que não foram realizados ou regidos por tais instrumentos, eram diante de Deus reconhecidos e válidos (Gn 1.27-28; 24.58-67; 29.21-30; 41.45; Ex 24.1; 1Sm 18.27; Rt 4.9-13; Mt 1.24-25, etc.) O contrato de casamento é mencionado apenas no livro apócrifo de Tobias 7.13, e mesmo assim com caráter descritivo e não prescritivo.

3. Os contratos de casamento, a princípio estabelecidos pela família em algumas sociedades antigas, sem a interferência do Estado, vindo a fazer parte do universo jurídico apenas num passado recente, eram motivados por questão de ordem material e não afetiva. Não era a legitimação do casamento a preocupação inicial, mas sim a partilha dos bens ao final deste.

4. Só a partir do século IX a igreja (católica), começou a chamar para si a competência para regular de forma exclusiva a toda matéria matrimonial, vindo no Concílio de Trento em 1553 dar ao casamento a condição de sacramento da Igreja. Até então, desde a Igreja Primitiva, não havia dificuldade no reconhecimento do casamento conforme os padrões sócio-culturais, desde que fundamentado nos padrões bíblicos, conforme já citado.

5. No Brasil, a Igreja no seu princípio seguiu as diretrizes da Constituição Republicana de 24 de Janeiro de 1891, no art. 72, parágrafo 2°., que reconhecia apenas o "casamento civil", e do Código Civil que vigorou a partir do 1° de Janeiro de 1917, cujas disposições só reconhecia como válido o casamento civil celebrado pela autoridade secular. Entendendo se dever cívico de submissão às autoridades constituídas (Rm 13) e da preservação dos bons costumes (padrão culturalmente instável), a Igreja Evangélica, sem maior reflexão bíblica, privou o batismo nas águas e consequentemente da santa ceia aqueles novos crentes congregados que se encontravam diante da "lei" irregulares e marginalizados em virtude de sua união conjugal não seguir as diretrizes legais de então, quanto ao casamento ou reconhecimento do status de família. Com os graves problemas que esta exigência jurídicas causou, uma vez que não eram reconhecida pelo Estado as uniões conjugais estáveis, acontecia que no momento da separação entre estes "casais", a mulher sempre sofria prejuízos na partilha (quando havia partilha) de bens e em outras questão básicas.

6. Diante deste quadro, partindo de mudanças no Direito Tributário, o Estado acabou por reconhecer através da Constituição de 1988 em seu art. 226 parágrafo 3°, a união estável entre homem e mulher como entidade familiar, caracterizada pela convivência pública, contínua e duradoura com o objetivo de constituir família. Tal artigo foi regulamentado pela Lei 9.278 de 10 de Maio de 1996 e pelo novo Código Civil de 10.01.2002 em seu art. 1723. O Estado com isso corrigiu um erro e uma injustiça, retomando o principio dos primórdios da sociedade onde "o fato do casamento era por si reconhecido e satisfatório. Tais mudanças nas leis do país, não quebraram nenhum principio bíblico referente a vida conjugal entre homem e mulher, ao contrário, consolidaram o referente princípio.

7. Não há Novo Testamento nenhuma exigência para o batismo nas águas relacionada a "contratos ou certidões de casamento", aliás, as únicas exigências são arrependimento, fé, consciência e vontade (Mc 16.16; At 2.38-41; 8. 36-37). A história e a Bíblia (Mt 15.3) nos revelam os riscos de se colocar a "tradição" acima da Palavra de Deus promovendo com isto a injustiça.

8. É no mínimo contraditório o fato de se negar o batismo nas águas para os crentes que participam ativamente da vida congregacional, contribuem com seus dízimos, dão ofertas, evangelizam, fazem parte dos órgãos de cântico, alguns são líderes, ensinam na escola dominical, e são batizados com o Espírito Santo. Só não podem assumir funções "oficiais" e participarem da Santa Ceia.

Mudar é incômodo, mas por vezes é necessário. Mudar com responsabilidade, avaliando as conseqüências das mudanças é essencial. O desejo por mudança, por bem intencionado que seja, acaba mexendo com padrões fortemente estabelecidos e arraigados em qualquer instituição. Não quero ser simplista, visto que a questão exige assim uma análise cautelosa.

O pensador e questionador corre o risco de ser mal interpretado e até "excomungado" (Jesus, Paulo, Lutero, Luther king e outros que o digam). Pensar diferente nem sempre é pensar errado. Pensar criticamente é necessário. Pensar biblicamente é sempre certo. O propósito desse texto é fazer pensar, refletir, gerar discussão, debate, pois só assim os erros podem ser corrigidos, as mudanças podem acontecer e a justiça pode ser promovida.

Referências Bibliográficas

Código Civil e Constituição Federal. São Paulo: Saraiva, 2003.

CAMPOS, Alzira Lobo de Arruda. Casamento e família em São Paulo colonial. São Paulo: Paz e Terra, 2003.

ENGELS, Friedrich. A origem da família, da propriedade privada e do Estado. São Paulo: Centauro, 2002.

MAGALHÃES, Rui Ribeiro de. Direito de família no novo código civil brasileiro. 2. ed. São Paulo. Editora Juarez de Oliveira, 2003.

THERBORN, Göran. Sexo e poder: a família no mundo 1900-2000. São Paulo: Contexto, 2006.

Texto do Pr. Altair Germano, de Recife (PE). Blog: http://www.altairgermano.com/

"CGADB é você!" ? Não, não sou eu.

O que observo da reunião dos pastores das Assembléia de Deus, em Vitória (ES), para a eleição do do novo Presidente da Convençao Geral das Assembléias de Deus no Brasil, não é nada animador. 

Eu penso que se Jesus viesse hoje, alguns dos que lá estão seriam os primeiros a crucificá-lo. Se tivessem vivido nos tempos dos profetas, seriam aqueles que os teriam matado.

A respeito desses, o Mestre disse:


"Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas.

Condutores cegos! Que coais um mosquito e engolis um camelo. 

Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que limpais o exterior do copo e do prato, mas o interior está cheio de rapina e de iniquidade. 

Fariseu cego! Limpa primeiro o interior do copo e do prato, para que também o exterior fique limpo.

Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda imundícia.

Assim também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas interiormente estais cheios de iniquidade.

Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas!" (Evangelho de Mateus, cap. 23, versos 23-29a)

Reproduzo aqui, também, a respeito dos fatos, o trecho de um comentário que li a respeito da postagem sobre a Convenção no Blog do Pr. Altair Germano. É uma adaptação dos versos 10 a 13 da primeira carta de Paulo aos Coríntios:

10 Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos uma mesma coisa, e que não haja entre vós dissensões; antes sejais unidos em um mesmo pensamento e em um mesmo parecer. 
11 Porque a respeito de vós, irmãos meus, me foi comunicado PELO BLOG DO PR. ALTAIR que há contendas entre vós. 
12 Quero dizer com isto, que cada um de vós diz: Eu sou de JOSE WELLINGTON, e eu de SAMUEL CÂMARA, e eu de Cristo. 
13 Está Cristo dividido? Foi JOSE WELLINGTON crucificado por vós? Ou fostes vós batizados em nome de SAMUEL CÂMARA? 


Então, enquanto morrem muitos sem conhecer a Cristo, e o mundo descrê cada vez mais de Deus, por serem os tempos maus, o testemunho que temos de alguns pastores da Assembléia de Deus no Brasil é esse? É tempo de rasgarmos nossas vestes e cobrirmos nossas cabeças de cinzas. Que vergonha! Uma pessoa há 22 anos no poder de uma organização religiosa rica e influente insiste e faz de tudo para continuar! E o que isso tem causado? É só observar. O que não faz o amor ao poder e ao dinheiro! Por outro lado, não vale tudo para que o candidato opositor seja eleito! Os fins não justificam os meios! O que é isso, gente? Dos dois lados temos o desprazer de ver procedimentos imorais e imundos?

19 de abr de 2009

entre você e Deus


Entre você e Deus

Muitas vezes as pessoas são egocêntricas, ilógicas e insensatas. Perdoe-as assim mesmo.

Se você é gentil, as pessoas podem acusá-lo de egoísta, interesseiro. Seja gentil assim mesmo.

Se você é um vencedor, terá alguns falsos amigos e alguns inimigos verdadeiros. Vença assim mesmo.

Se você é honesto e franco, as pessoas podem enganá-lo. Seja honesto e franco assim mesmo.

O que você levou anos para construir, alguém pode destruir de uma hora para outra. Construa assim mesmo.

Se você tem paz e é feliz, as pessoas podem sentir inveja. Seja feliz assim mesmo.

O bem que você faz hoje pode ser esquecido amanhã. Faça o bem assim mesmo.

Dê ao mundo o melhor de você, mas isso pode nunca ser o bastante. Dê o melhor de você assim mesmo.

Veja você que, no final das contas, é entre você e Deus. Nunca foi entre você e as outras pessoas.

***
Palavra pastoral de 19/04/2009, Boletim informativo da Igreja Metodista em Icaraí (www.metodistaicarai.org.br). A autoria do texto é atribuída a Madre Teresa de Calcutá.

sou grata

O blog Amenidades da Cristandade, comemorando um ano de existência em 16/04 (Parabéns!), lançou o selo/prêmio "Melhores Blogs da Cristandade" (acima), em reconhecimento "aos blogueiros amigos que fazem de nossa blogsfera um ligar cada dia melhor". Os primeiros premiados foram os blogs Bereanos, Doa a quem doer, Escrevendo de tudo, Nani e a Teologia, Notícias Cristãs, Púlpito Cristão e Tomei a Pílula Vermelha (para ter acesso aos links de todos, acesse o blog Amenidades da Cristandade).

O blog Notícias Cristãs, seguindo as instruções de recebimento, indicou o Blog da Maya para receber o selo, e também os blogs Amando ao Próximo, Descanso da Alma, Eliseu Antonio Gomes, Letras Santas, Ministério Casados em Cristo e Pastor Arthur Eduardo (para ter acesso aos links de todos, acesse o blog Notícias Cristãs).

O blog do Pastor Arthur Eduardo, por sua vez, indicou o Blog da Maya, também, para receber o selo. Ou seja: o Blog da Maya foi duplamente indicado.

Para receber o selo, se faz necessário seguir as seguintes regras:
.
1)Colocar o link do blog que ofereceu o prêmio ao seu blog;
.
2)Escolher outros sete blogs de conteúdo cristão (não importando a corrente ou denominação) para receber a premiação e colocar seus links no post que consta a premiação;
.
3)Comunicar os blogs premiados;
.
4)Colocar as regras e a imagem do selo (conforme o código abaixo, direcionando para este post original do prêmio) no post de premiação.
.
Para colocar o selo em seu blog, copie o código aqui.
.
O Blog da Maya, já tendo indicado os links dos blogs que nos premiaram, indica para receber o selo os seguintes blogs:

1. Reflexões sobre quase tudo, do Daladier Lima;
2. Encontro com a Bíblia, do Matias Borba;
5. Geração que Lamba, do Victor Leonardo Barbosa, do Renan Diniz, do Nilton Rodolfo e do Carlos Eduardo;
6. E agora, como viveremos?, do Valmir Nascimento Milomem.


Amigos,

Sou grata por mais esse reconhecimento. Este blog foi criado como uma tentativa de responder a algumas discussões ruidosas e indigestas, iniciadas na blogosfera cristã. No início, além de algumas respostas atravessadas a certos blogueiros da blogosfera cristã, postava de tudo, e as músicas não eram só de temática cristã. Depois, com o tempo e como reflexo de mudanças pelas quais eu também passei, o blog foi mudando. As notícias passaram a ter, quase sempre, ligação com o mundo cristão. As músicas também foram alvo de substituição, e pouco a pouco eu passei a postar músicas de caráter exclusivamente cristão. Também já estive em vias de desistir do blog, em horas de muito cansaço. Já me perguntei se o que posto aqui edifica alguém, realmente. Já me perguntei quem são as pessoas que acessam do Japão, da Turquia, da Venezuela e dos outros 74 países que estão listados na coluna da esquerda, mais abaixo. À medida que as postagens avançavam, senti necessidade de ter muito cuidado com o que eu postava. Passei a me perguntar mais se os textos e as imagens fariam bem a quem lesse, despertariam reflexões, questionamentos, vontade de louvar a Deus, urgência de estudar a Bíblia e de pregar a Palavra. Às vezes vou nas postagens iniciais e vejo coisas que foram postadas desde o início, em julho de 2007. Então, faço a poda, retiro o matinho, remexo a terra, rego... Isso quer dizer que acabo apagando postagens antigas, corrigindo outras, refazendo ainda algumas, retirando links, excluindo sites. E não me venham dizer que isso é proibido... Se há uma coisa boa no blog é que ele é um espaço meu, que só eu administro. Como diz o Reinaldo Azevedo, cujo blog passou a ser visita obrigatória diária para mim, o blog é meu e sou eu quem mando aqui (no meu caso, peço orientação a Deus também...).

Também lembro agora que na blogosfera cristã tenho feito bons amigos e descoberto irmãos de fé. Isso é muito bom. Algumas amizades já foram para o Orkut, o Facebook, o Skype. Quem sabe um dia saiamos do mundo virtual e eu não encontre alguém por aí, na igreja, em casa, em um café. Gostaria muito de tomar um café com o Márcio Melânia, o Daladier, o Matias. Queria ouvir os pastores Arthur Eduardo, Altair Germano, Juber Donizete, Julio Soder e Geremias do Couto pregarem. Tinha vontade de me sentar com o Victor Leonardo e, tomando uma tigela de jussara bem espessa (que lá em Belém eles chamam de açaí), ouvir suas ideias. Queria abraçar cada irmão cujos blogs têm me edificado pelas suas postagens, abordagens, links e tanto mais. Pra não dizer que nunca encontrei alguém da blogosfera, tive a oportunidade de conhecer a Norma Braga e tomar um café com ela. Que boa surpresa! Norma é gentil - sua mão de ferro se aplica aos seus princípios, coisa que eu admiro e ainda preciso aprender.

É isso. Construir um blog é uma espécie de terapia ocupacional, mas vai além disso. Tudo o que é mais relevante para mim, em termos de cristianismo, é postado. As músicas que me inspiram são colocadas no podcast, as notícias que me surpreendem e me deixam indignada acabam aqui. Não sei se um dia vou parar, mas penso que haverá um momento de licença sabática: pode ser na reta final do doutorado, pode ser por conta de algum acontecimento de caráter mais pessoal e familiar, pode ser por conta de problemas técnicos. Não sei. Se Deus quiser, e se eu continuar viva, seguimos.


Marcadores

Comportamento (719) Mídia (678) Web (660) Imagem (642) Brasil (610) Política (501) Reflexão (465) Fotografia (414) Definições (366) Ninguém Merece (362) Polêmica (346) Humor (343) link (324) Literatura (289) Cristianismo (283) Maya (283) Sublime (281) Internacional (276) Blog (253) Religião (214) Estupidez (213) Português (213) Sociedade (197) Arte (196) La vérité est ailleurs (191) Mundo Gospel (181) Pseudodemocracia (177) Língua (176) Imbecilidade (175) Artigo (172) Cotidiano (165) Educação (159) Universidade (157) Opinião (154) Poesia (146) Vídeo (144) Crime (136) Maranhão (124) Livro (123) Vida (121) Ideologia (117) Serviço (117) Ex-piritual (114) Cultura (108) Confessionário (104) Capitalismo (103) (in)Utilidade pública (101) Frases (100) Música (96) História (93) Crianças (88) Amor (84) Lingüística (82) Nojento (82) Justiça (80) Mulher (77) Blábláblá (73) Contentamento (73) Ciência (72) Memória (71) Francês (68) Terça parte (68) Izquerda (66) Eventos (63) Inglês (61) Reportagem (55) Prosa (54) Calendário (51) Geléia Geral (51) Idéias (51) Letras (51) Palavra (50) Leitura (49) Lugares (46) Orkut (46) BsB (44) Pessoas (43) Filosofia (42) Amizade (37) Aula (37) Homens (36) Ecologia (35) Espanhol (35) Cinema (33) Quarta internacional (32) Mudernidade (31) Gospel (30) Semiótica e Semiologia (30) Uema (30) Censura (29) Dies Dominicus (27) Miséria (27) Metalinguagem (26) TV (26) Quadrinhos (25) Sexo (25) Silêncio (24) Tradução (24) Cesta Santa (23) Gente (22) Saúde (22) Viagens (22) Nossa Linda Juventude (21) Saudade (21) Psicologia (18) Superação (18) Palestra (17) Crônica (16) Gracinha (15) Bizarro (14) Casamento (14) Psicanálise (13) Santa Casa de Misericórdia Franciscana (13) Carta (12) Italiano (12) Micos (12) Socialismo (11) Comunismo (10) Maternidade (10) Lêndias da Internet (9) Mimesis (9) Receita (9) Q.I. (8) Retrô (8) Teatro (7) Dããã... (6) Flamengo (6) Internacional Memória (6) Alemão (5) Latim (5) Líbano (5) Tecnologia (5) Caninos (4) Chocolate (4) Eqüinos (3) Reaça (3) Solidão (3) TPM (2) Pregui (1)

Arquivo